Conecte-se conosco

    Política

    Vereador Amadeu Júnior diz que Prefeitura de Guadalupe se prepara para dar outro calote nos professores

    Publicado

    em

    Vereador Amadeu Júnior diz que Prefeitura de Guadalupe se prepara para dar outro calote nos professores

    O vereador Amadeu Júnior (MDB) cobrou nesta segunda-feira (9) a Prefeitura de Guadalupe para que faça o repasse dos recursos dos precatórios do Fundef para os professores do município. De acordo com o vereador, a Prefeitura de Guadalupe se prepara para dar um outro calote nos professores, pois já foram depositados mais de R$ 11 milhões na conta da prefeitura, mas a gestão ainda não fez o repasse para a conta dos docentes.

    “Foram repassados mais R$ 11 milhões para a conta do município de Guadalupe na conta da Caixa Econômica Federal. Isso deixou a categoria dos professores apreensivas, porque já recebeu um calote de mais de R$ 11 milhões na primeira parcela que foi repassada ao município. A lei diz que 60% do valor dos precatórios do Fundef são de direito do professor ou do profissional da educação. Então, se a gente for comparar o valor que entrou de mais de R$ 11 milhões da primeira parcela com mais R$ 11 milhões da segunda. Isso dá mais de 22 milhões. Se nós colocarmos 60% em cima desse percentual, no mínimo, R$ 12 milhões têm que ser repassados diretamente ao professor de Guadalupe”, destaca o vereador.

    O vereador diz que estranha o fato de a prefeita de Guadalupe não comunicar aos professores o repasse dos precatórios do Fundef na conta prefeitura na Caixa Econômica.

    “Qual é a intenção desta gestora que ainda não comunicou a transferência deste dinheiro para conta da prefeitura na Caixa Econômica Federal? Nós sabemos que é um direito do professor. Existe uma entidade representativa, o sindicato, que solicitou diversas conversas com a gestora para tratar deste assunto e não foi atendido”, frisa.

    O vereador afirmou que a gestão realizou licitações que estão sendo investigadas pela Procuradoria do Ministério Público Federal.

    “O primeiro repasse dos precatórios do Fundef foi jogado no ralo, com invenções de pseudo licitações, que estão sendo investigadas pela Procuradoria do Ministério Público Federal, porque eu fiz a denúncia. A gente viu o estado das falsas licitações e das falsas reformas, como a da escola Cedeg, Hipólito, Tia Quieta, do Teresinha Simplício, do Sebastião. Em todas elas, a gente viu que era um ajeitadinho para desviar o dinheiro dos professores. Isso nos deixa estarrecidos na condição de morador de Guadalupe, porque a gente vê uma tentativa de um golpe imposto sobre a cabeça, coração, do pulmão e da mente da educação de Guadalupe”, lamenta.

    Da Redação

    Propaganda
    Clique para comentar

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Propaganda

    Banca de Jornal

    Propaganda

    Popular