O ex-ministro da Infraestrutura Tarcísio de Freitas (Republicanos), 47, e o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT), 59, se enfrentarão no segundo turno das eleições 2022 para o governo de São Paulo, no próximo dia 30.

Com 100% das urnas apuradas, Tarcísio teve 9.881.995 votos (42,32% do total), enquanto Haddad recebeu 8.337.139 votos (35,7%), segundo os dados oficiais do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

O resultado coloca fim à hegemonia do PSDB, que governa o estado desde 1995. Rodrigo Garcia, atual governador, ficou em terceiro lugar, com 18,4%. Foram sete eleições seguidas com vitória tucana, uma sequência iniciada por Mário Covas na eleição de 1994.
Haddad tenta o feito inédito de ser o primeiro petista a governar o estado mais rico e populoso do país com o apoio de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e do vice dele, Geraldo Alckmin (PSB), que comandou São Paulo por três mandatos quando ainda estava no PSDB. Já Tarcísio disputa sua primeira eleição, apadrinhado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL).

SP na mira na eleição para a Presidência. A disputa pelo Palácio dos Bandeirantes repetiu a polarização entre Lula e Bolsonaro, que dominou a campanha nacional. No último debate entre os candidatos ao governo, na terça (27), Haddad e Tarcísio promoveram uma dobradinha e deixaram Rodrigo de lado, trazendo para o estado o tom de disputa nacional.

O petista liderou as pesquisas de intenção de votos desde o início, mas a vantagem em relação aos principais adversários diminuiu nas últimas semanas. As campanhas já davam como certo que a disputa seguiria para o segundo turno. No entanto, havia um cenário de indefinição entre Tarcísio e Rodrigo pela segunda vaga.

Tarcísio subiu à medida que a campanha ganhou as ruas e se tornou mais conhecido e mais associado a Bolsonaro, mas não conseguiu abrir ampla vantagem contra Rodrigo —os dois apareciam tecnicamente empatados em algumas pesquisas e ele ultrapassou o tucano apenas na reta final.

Na apuração, porém, Tarcísio surpreendeu e deixou Haddad na segunda colocação, além de ter acabado com a hegemonia do PSDB no estado.

Avaliação de Tarcísio. Após a consolidação do resultado, Tarcísio afirmou que seu desempenho em São Paulo foi “extraordinário” e disse que comentou o panorama dos números com Bolsonaro.

“A gente percebe uma característica liberal, conservadora no estado, [como] a eleição do Marcos Pontes no Senado.” Segundo o candidato, ele bateu o PSDB porque “a população percebeu o esgotamento de um modelo”, disse.

Acabei de falar com ele, fizemos uma análise. Essa eleição mostra a força do bolsonarismo
Tarcísio de Freitas (Republicanos), candidato ao governo de São Paulo

Avaliação de Haddad. Após a definição de segundo turno, Haddad se pronunciou em São Paulo. No discurso, ele disse acreditar que os votos que migraram para Tarcísio e o presidente Jair Bolsonaro (PL), contrariando as últimas pesquisas eleitorais, já são os que migrariam no segundo.

Acho que os votos que migraram para o Tarcísio e para o Bolsonaro no primeiro turno são os votos que migrariam no segundo. Essa é minha opinião.

Fonte: Folhapress

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *