O Senado aprovou nesta sexta-feira (21) o advogado Cristiano Zanin Martins, 47, ao STF (Supremo Tribunal Federal) . A expectativa é que a posse do indicado pelo presidente Lula (PT) à Corte seja em agosto, após o recesso do Judiciário.

Cristiano Zanin obteve 17 votos a mais do que o necessário para a aprovação no plenário da Casa, que tem 81 senadores. Indicado por Jair Bolsonaro (PL) em 2021, André Mendonça recebeu 47 votos a favor e 32 contra. Zanin empata com Dias Tóffoli nos votos favoráveis e se torna o 8º ministro do STF mais votado.

O ex-advogado de Lula na Operação Lava Jato poderá atuar no Supremo até 2050. Ele ocupará a cadeira do ministro Ricardo Lewandowski, aposentado em abril,

aprovação de Zanin no plenário aconteceu após quase oito horas de sabatina, que foi considerada tranquila, na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça). No colegiado, foram 21 votos favor e 5, contra o advogado. Senadores de oposição criticaram a “aprovação relâmpago”.

Próximos passos de Zanin
Com o nome de Zanin aprovado, o STF começará os preparativos para a posse do advogado como o 11º ministro da Corte. A cerimônia deve ser realizada em agosto, uma vez que o tribunal entra em recesso no próximo dia 1º de julho.

É esperado que Zanin se reúna em breve com Rosa Weber, presidente do STF, para discutir detalhes da posse, como o número de convidados e a melhor data para o evento. A Corte também fará nas próximas semanas a toga que será usada por Zanin — o traje é feito sob medida.

Zanin herdará um dos menores acervos da Corte: são 530 processos que estavam sob relatoria de Lewandowski e passarão para as mãos do novo ministro. Entre os casos há debates sobre a Lei das Estatais e um inquérito contra o deputado federal Josimar Maranhãozinho (PL-MA), aliado de Jair Bolsonaro (PL), por desvios de verbas.

Da Redação
Foto: Reprodução

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *