A seleção brasileira embarcou por volta de 5h20 desta segunda-feira para a Austrália, país que sediará junto com a Nova Zelândia o Mundial 2023, entre 20 de julho e 20 de agosto, para disputar a Copa do Mundo Feminina .

A aeronave que leva a seleção feminina também carrega mensagens de apoio às mulheres que sofrem discriminação, escritas em inglês na fuselagem:
“Nenhuma mulher deveria ser forçada a cobrir a cabeça”
“Nenhuma mulher deveria ser morta por não cobrir a cabeça”
“Nenhum homem deveria ser enforcado por dizer isso”

Em busca da “primeira estrela”, o Brasil adotou uma logística especial para diminuir o impacto da diferença de 13 horas à frente em relação ao horário de Brasília. Pela primeira vez, a seleção viaja em voo fretado para uma Copa Feminina, o que permitiu à comissão técnica escolher o melhor horário de decolagem e trajeto até Gold Coast, no litoral Oeste australiano, onde a seleção fará as duas primeiras semanas de treino no país da Copa.

– Estou feliz com a preparação. Temos uma longa viagem e precisamos nos adaptar o mais rapidamente possível ao jet leg (diferença de horário). Temos alguns exames e outras coisas para fazer para estarmos preparadas para o fuso horário da Austrália – disse a técnica Pia Sundhage no domingo, após a goleada por 4 a 0 sobre o Chile, em Brasília, no amistoso de despedida da torcida.

Minutos antes do embarque, já na pista do Aeroporto de Brasília, a atacante Nycole viveu uma emoção especial: ela pôde se despedir do pai, que trabalha no local como auxiliar de rampa.

– Fiquei muito feliz. Foi uma correria grande, eu entro no trabalho às 4h e ontem ela me ligou, dizendo que o voo provavelmente sairia às 5h30. Agora é torcer pra que elas façam um bom campeonato e tragam o caneco – disse Alessandro Sobrinho, pai da atacante da Seleção.

Viagem terá 25 horas de duração
Serão 25 horas no avião, incluindo uma parada no Taiti para reabastecimento. Para adiantar a adaptação, a delegação mudou horários das refeições antes mesmo do voo. Um jantar foi servido para que toda a equipe comece a entrar no ritmo australiano.

Durante o voo, as jogadoras farão trabalhos específicos para facilitar à adaptação ao fuso horário e diminuir o desgaste. A chegada à Austrália está prevista para o início da noite de terça-feira (horário local).

– Poder ter a liberdade de um voo só para a gente, poder fazer trabalhos com as atletas, isso é fundamental para a nossa logística – explicou a supervisora das seleções femininas da CBF, Ana Lorena Marche, no dia da convocação para a Copa.

Da Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *