Santos e Palmeiras fizeram um clássico mais truncado do que agitado e empataram sem gols na Vila Belmiro, hoje, em jogo válido pela 7ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os donos da casa foram aos 11 pontos, enquanto o alviverde soma 15 e é vice-líder.

O resultado manteve dois tabus: o time de Odair Hellmann segue sem perder como mandante na temporada, enquanto a equipe alviverde não é derrotada pelo rival desde outubro de 2019

O 1° tempo ficou marcado por um duelo da velocidade contra a cadência. O ágil Santos até se sobressaiu diante de um preso Palmeiras, mas não conseguiu superar Weverton até o intervalo.

Na metade final do clássico, o ritmo caiu, e as substituições feitas pelos técnicos não colaboraram para um melhor nível técnico.

Santos e Palmeiras voltam aos gramados na quarta-feira (24). O primeiro encara o Audax Italiano, fora de casa, pela Sul-Americana, enquanto o time da capital mede forças com o Cerro Porteño, no Paraguai, pela Libertadores.

Destaques da partida
Menino erra, por pouco, o alvo. A primeira grande chance do jogo saiu aos 13 minutos e após uma investida palmeirense. Dudu aproveitou desvio em cruzamento e ajeitou para Gabriel Menino, que bateu forte ao gol de João Paulo — a bola ainda tocou na trave antes de sair para a linha de fundo.

Santos agiliza, e Palmeiras cadencia. Em meio a um jogo truncado, Odair apostou na velocidade de seus dois pontas, Lucas Braga e Ângelo, para surpreender o rival em jogadas rápidas. Enquanto isso, os visitantes tiveram mais posse, mas não conseguiram furar a linha defensiva santista.

Pressão e Weverton evitando o pior. Aos poucos, a agilidade santista empolgou a Vila Belmiro e causou perigo ao gol adversário. Deivid Washington, pela ponta direita, e Lucas Pires, do lado oposto, obrigaram Weverton a trabalhar em chutes fortes. Os cruzamentos de Ângelo e Gabriel Inocêncio também assustaram a equipe alviverde.

Choques na cabeça tiram três jogadores de campo. Na volta para o 2° tempo, tanto Odair quanto João Martins foram obrigados a fazer substituições pelo mesmo motivo: choques de cabeça. Messias, Lucas Braga (do time mandante) e Gustavo Gómez (da equipe visitante) não voltaram ao gramado e deram lugar a Maicon, Lucas Barbosa e Naves.

Palmeiras ensaia pressão, mas é neutralizado. O alviverde passou a jogar praticamente no campo adversário na metade final do clássico. Apesar disto, João Paulo não praticou defesas difíceis — muito graças à atuação do zagueiro Joaquim —, e o Santos conseguiu diminuir o ritmo gradativamente.

Ritmo cai, e alterações não surtem efeito até apito final. O desgaste falou mais alto nos últimos minutos do confronto, e as trocas feitas por Odair e João Martins não resultaram em produtividade. Do lado santista, Lucas Barbosa substituiu Lucas Lima e foi um dos nomes apagados. Já Endrick, que entrou no lugar de Dudu, recebeu poucas bolas em condição de mudar o panorama.

Fonte: Folhapress
Foto: Divulgação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *