Rayssa Leal faturou mais um título mundial de skate street neste domingo (5), ao vencer o campeonato organizado pela World Skate em Sharjah, nos Emirados Árabes Unidos. Ela já havia ganhado o Super Crown da SLS em novembro passado. No masculino, Kelvin Hoefler foi quarto, mas não chegou a brigar por pódio.

É o primeiro título da brasileira de 15 anos neste tipo de evento, e o que vai ficar para a história é que ela é a campeã mundial de 2022. Isso porque o Mundial do ano passado, que seria no Rio, foi cancelado de última hora, e levado para o emirado vizinho a Dubai.

A conquista veio apesar de uma lesão no punho direito, causada por uma queda em treino da quinta-feira. Ela reclamou bastante de dores na sexta, mas não deixou o problema atrapalhar seu desempenho.
Em Sharjah, hoje, a disputa foi de altíssimo nível entre quatro adolescentes. Rayssa ficou com o ouro com 255,58, seguida de muito perto pela vice-campeã Chloe Covell, australiana de apenas 12 anos e novo fenômeno do skate mundial, que tirou 253,31.

Como foi?
Covell abriu com uma ótima volta de 86,06, mas logo em seguida foi ultrapassada por Nishiya, que tirou 86,81.

Rayssa veio na sequência e não arriscou. Fez uma volta básica, tirou 83,32, e garantiu ficar na briga.

Na segunda volta, as três não conseguiram melhorar as notas, e viram Akama entrar na briga, com 84,49.

Na primeira rodada de manobras, Rayssa conseguiu ótimo 84,44, mas não foi melhor que Akama, que tirou 85,04.

Covell e Nishiya brilharam na segunda tentativa, ambas ultrapassando Rayssa, que errou.

Na terceira rodada, Covell pulou para o primeiro lugar, com 81,31, que logo passou para Nishiya, que tirou 82,44.

Mas faltava Rayssa, que repetiu a manobra que deu a melhor nota das semifinais e tirou 87,22, melhor nota também da final.

Restando duas tentativas, a brasileira tinha entre 2 e 4 pontos de vantagem sobre as rivais, que precisavam arriscar.

A única a acertar foi Covell, que melhorou sua nota em um ponto, ficando a dois de Rayssa.

Outras brasileiras
Tanto Pâmela Rosa quanto Gabi Mazetto não conseguiram fazer voltas limpas, cometendo falhas e passando longe do patamar de 80 pontos, mínimo para continuar na briga por medalhas. Pâmela ficou com 43,38 pontos, Gabi com 58,64.

Nas manobras, elas foram melhores. Ambas fizeram uma manobora de 83 pontos cada uma, Gabi ainda conseguiu um 79, mas isso só permitiu a ela chegar em sexto. Pâmela ficou em oitavo.

Fonte: Folhapress
Foto: Divulgação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *