O governador Rafael Fonteles anunciou, nesta sexta-feira (12), em suas redes sociais, que 150 escolas de ensino médio do Piauí vão abrir matrículas para novos cursos profissionalizantes a partir de segunda-feira (15). A iniciativa faz parte de uma das metas para a educação do Piauí, que é a ampliação da oferta de cursos técnicos de nível médio no âmbito do Programa Acelera Seduc. Cerca de 10 mil estudantes serão beneficiados.

Para o governador, o ensino profissionalizante facilita o acesso do aluno ao mercado de trabalho e ao emprego. “É mais uma oportunidade de garantir a capacitação dos nossos jovens em áreas que estão crescendo, para que eles consigam espaço no mercado de trabalho e possam ajudar nosso estado a se desenvolver”, disse Rafael.

De acordo com o secretário de Educação, Washington Bandeira, cinco cursos serão oferecidos nessas escolas: desenvolvimento de sistemas com ênfase em inteligência artificial, marketing digital, programação de jogos, turismo com ênfase em empreendedorismo e energias renováveis. A partir de segunda-feira, os alunos já poderão procurar as escolas para fazer a matrícula.

A declaração do governador aconteceu em Fortaleza (CE), ao participar do lançamento, pelo presidente Lula, do Programa Escolas de Tempo Integral, que tem como o objetivo ampliar em 1 milhão de matrículas a oferta de tempo integral nas escolas de educação básica de todo o Brasil. O evento teve a presença do ministro da Educação, Camilo Santana, e de vários governadores.

Rafael destacou que o Piauí saiu na frente em relação ao ensino em tempo integral, já que até 2025 todas as escolas públicas da rede estadual de ensino médio serão em tempo integral e terão também ensino profissional e técnico. “Tenho orgulho de dizer que o Piauí está em sintonia com as diretrizes nacionais e focando no que muda o nosso futuro: a educação”, afirmou o governador.

Em janeiro deste ano, o Governo do Piauí ofertava ensino integral em 96 escolas de ensino médio, e vai expandir a modalidade para mais 104 até o final do ano, totalizando 200 unidades este ano. Destas 200, 150 ofertarão cursos técnicos e profissionalizantes.

Presidente Lula participou do evento

Tempo integral em nível nacional
O Programa Escolas de Tempo Integral busca viabilizar a meta 6 do Plano Nacional de Educação (PNE), que estabelece a oferta de educação em tempo integral em, no mínimo, 50% das escolas públicas, de forma a atender, pelo menos, 25% dos estudantes da educação básica. O Relatório do 4º Ciclo de Monitoramento das Metas do PNE 2022 mostra que o percentual de matrículas em tempo integral na rede pública brasileira caiu de 17,6%, em 2014, para 15,1% em 2021.

Para ampliar a oferta de matrículas em tempo integral, o programa vai repassar R$ 4 bilhões para que estados e municípios possam expandir essas matrículas em suas redes. A ação é destinada a todos os entes federados, que poderão aderir e pactuar metas junto ao MEC, por meio do Sistema Integrado de Monitoramento Execução e Controle (Simec).

Fonte: CCom
Foto: Divulgação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *