Os profissionais do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) de Teresina realizam, na manhã desta segunda-feira (17), um protesto na avenida Gil Martins, ba zona Sul de Teresina,  para cobrar mais segurança após uma equipe ser baleada durante atendimento na noite do último sábado (15).

O socorrista Girleno França afirmou que o movimento continuará até amanhã.

“Esse não é o primeiro episódio que acontece e certamente não será o último. Até o momento não tivemos nenhum retorno, mas estamos cobrando e vamos nos manter aqui, inclusive o movimento continuará amanhã até que a gente tenha uma resposta, que é a prática da condução segura do trabalho do profissional do Samu durante seu atendimento”, explica, Girleno França.

Entenda o caso
Uma equipe do Samu de Teresina foi atingida por disparos de arma de fogo enquanto prestavam socorro a uma vítima no bairro Vamos Ver o Sol, zona Sul da Capital, no último sábado (15). Uma enfermeira e o motorista da ambulância foram baleados e encaminhados ao Hospital de Urgência de Teresina (HUT) para atendimento.

O Conselho Regional de Medicina do Estado do Piauí (CRM-PI) e o Sindicato dos Médicos do Estado do Piauí (SIMEPI) divulgaram nota de repúdio pelo ataque que baleou uma equipe do SAMU quando realizava atendimento no bairro Vamos Ver o Sol, na zona Sul de Teresina, no último sábado 15).

“Manifestar total repúdio ao referido ato de covardia que atentou contra a integridade física dos profissionais em pleno exercício da profissão”, diz a nota.


Nota do CRM-PI e Simepi
Diante dos fatos que ocorreram na noite do último dia 15 de julho, quando uma enfermeira e o motorista de uma ambulância foram atingidos por disparo de arma de fogo por ocasião de ocorrência atendida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), o Conselho Regional de Medicina do Estado do Piauí (CRM-PI) e o Sindicato dos Médicos do Estado do Piauí (SIMEPI) vêm manifestar seu total repúdio ao referido ato de covardia, que atentou contra a integridade física dos profissionais em pleno exercício da profissão. Tal situação revela à sociedade o extremo de uma habitual realidade de risco à qual os profissionais de saúde são expostos diariamente, com pouca ou nenhuma segurança durante o horário de trabalho.

Nesse sentido, ainda a respeito da questão da segurança dos profissionais de saúde no exercício da profissão, vale destacar a total insegurança nas unidades básicas de saúde do município de Teresina, sobretudo no horário das 17h às 19h. os profissionais estão temerosos de permanecerem nas unidades durante este horário, diante da falta de segurança, o que está prejudicando sobremaneira a assistência aos pacientes.

Diante de tais fatos, o CRM-PI e o SIMEPI consideram inadmissível que os profissionais de saúde não disponham da segurança necessária para desempenharem suas funções, com riscos reais à integridade física. Assim, o CRM-PI e o SIMEPI exigem das autoridades as providências urgentes e necessárias com a intervenção e criação de medidas de segurança para resguardar os servidores e os pacientes assistidos nas unidades de saúde de Teresina, a fim de que esse tipo de situação não mais aconteça.

O Conselho Regional de Enfermagem do Piauí (Coren-PI) emitiu nota lamentando o ocorrido e criticou a falta de segurança para os profissionais durante o horário de trabalho.

Veja a nota:
 O Conselho Regional de Enfermagem do Piauí (Coren-PI) informa que a conselheira Enfª Laurimary Caminha foi vítima de um disparo de arma de fogo durante o exercício de sua profissão, em ocorrência realizada pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), na noite deste sábado, 15 de julho de 2023.

Ato de covardia extrema, o episódio evidencia o risco ao qual profissionais de Enfermagem são expostos diariamente, com pouca ou nenhuma segurança durante o horário de trabalho. É inadmissível que ainda tenhamos que nos deparar com casos como esse enquanto desempenhamos nossas atividades.

Estamos acompanhando o desenrolar deste lamentável incidente, com a adoção das medidas cabíveis. À Drª Laurimary, o nosso apoio, solidariedade e orações pelo restabelecimento de sua saúde.

Todo e qualquer ato de violência contra profissionais de Enfermagem são veementemente repudiados por esta autarquia federal. O Coren-PI reafirma o seu compromisso de proteger a boa prática de Enfermagem e o direito à Saúde do cidadão, bem como de garantir a segurança dos profissionais e da população assistida.

Da Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *