Conecte-se conosco

Sem categoria

Polícia indicia quatro pessoas na luta clandestina de boxe em Teresina

Publicado

em

Polícia indicia quatro pessoas na luta clandestina de boxe em Teresina

O delegado Nenandro Pedro, do 7º Distrito Policial, confirmou nesta segunda-feira (3) que quatro pessoas foram indiciadas por crime contra a Saúde Pública, previsto no artigo 268 do Código Penal, em função do evento de luta clandestina, onde Jonas de Andrade Carvalho, conhecido nos ringues como ‘Guerreiro da Luz’, morreu no dia 24 de abril no bairro Itaperu, zona norte de Teresina.

Segundo o delegado, dessas quatro pessoas indiciadas, todas possuem formação na área da Saúde. Além desses profissionais, os organizadores do evento podem ser indiciados por homicídio culposo caso o laudo cadavérico do Instituto de Medicinal Legal aponte a morte da vítima por traumatismo craniano.

“Já temos 4 pessoas indiciadas, todos estavam no local todo irregular, que não tinha como funcionar uma academia. Desses indiciados, todos são da área da Saúde, um enfermeiro, uma enfermeira, um radiologista e uma fisioterapeuta, eles todos têm obrigação de saber que um evento daqueles com várias pessoas não é regular. Também tinha descumprimento aos decretos, eles até orientavam que as pessoas que chegassem de carro, colocasse o veículo para dentro do local e evitar aglomerações. Na quarta-feira eu vou receber o laudo do IML, dependendo do laudo, os organizadores do evento podem também responder por homicídio culposo”, relatou o delegado.

Entenda o caso

O segurança, microempreendedor individual e lutador de boxe Jonas de Andrade Carvalho Filho, 34 anos, faleceu quando participava de uma luta de boxe em Teresina

De acordo com informações de testemunhas, Jonas faleceu nos ringues quando sofreu duros golpes no crânio durante uma luta de boxe realizada no bairro Itaperu, em Teresina, momento em que caiu desmaiado e foi levado às pressas para o Hospital do Buenos Aires. Em decorrência da lesão crânio, supõe-se que Jonas tenha tido seguidas paradas cardíacas, fato que lhe tirou a vida.

A organização do evento conversou afirmou que o evento não era clandestino. Além disso, no momento estavam presentes árbitros e paramédicos para caso ocorresse algum incidente, como aconteceu.

“Na hora da filmagem, teve uma chuva e o espaço é aberto. As pessoas que estavam na chuva entraram todos para a parte fechada. Na realidade não tinha muita gente” completa.

Em relação a Jonas de Andrade, a fonte disse ainda que ele foi atendido ainda na luta pelos paramédicos que estava lá. “Eles fizeram os primeiros socorros, levaram ele ao hospital e ele teve um parada cardíaca e veio a óbito”, finaliza.

Federação Piauiense de Boxe diz que evento é clandestino
A Federação Piauiense de Boxe Amador e Profissional (FEPIBAP) se manifestou informando que não apoiou o evento e que repudia qualquer organização que faça uso do nome da federação de maneira clandestina.

Segundo o professor Marcos Oliveira, presidente da FEPIBAP, a federação não tem nenhum vínculo com o evento, pois jamais compactuaria com o descumprimento de leis municipais e estaduais quanto a proibição de aglomerações em eventos esportivos.

“É lamentável o que aconteceu, onde um atleta veio a óbito após uma luta clandestina. Quero deixar claro que a federação não tem nada relacionado com o evento. Quando a federação organiza ou apoia um evento, tem que ser tudo dentro das regras das maiores entidades do boxe mundial, uma delas é o Conselho Nacional de Boxe (CNB), da qual somos filiados aqui no Piauí”, diz Marcos.

Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Banca de Jornal

Propaganda