Polícia Federal prende 4 suspeitos de envolvimento com atos antidemocráticos

A PF (Polícia Federal) deflagrou nesta sexta-feira (20) a primeira fase da operação Lesa Pátria. Foram presas 4 pessoas suspeitas de financiarem ou participaram dos atos de 8 de janeiro, que culminaram na invasão das sedes dos Três Poderes, em Brasília.

Na manhã desta sexta-feira (20), 4 supostos financiadores foram presos em Brasília, São Paulo, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais. Leia a lista dos detidos:

Renan da Silva Sena foi preso na Candangolândia (DF). Em 2020, ele foi detido pelos crimes de calúnia e injúria contra autoridades dos Três Poderes e o governador afastado Ibaneis Rocha (MDB);

Ramiro Alves da Rocha, conhecido como Ramiro Caminhoneiro, foi preso em São Paulo. Ele é filiado ao PL e se candidatou a deputado federal em 2022;

Soraia de Mendonça Bacciotti foi presa em Mato Grosso do Sul. Ela é intérprete de libras e particiou dos atos extremistas do 8 de Janeiro.

Randolfo Antônio Dias foi preso em Minas Gerais. Ele participava das manifestações em frente ao QG do Exército em Belo Horizonte.

Segundo a PF, foram cumpridos 8 mandados de prisão preventiva e 16 de busca e apreensão, expedidos pelo STF (Supremo Tribunal Federal), nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal.

Confira a divisão:
Mandados de busca e apreensão:
7 em São Paulo;
5 no Distrito Federal;
1 no Mato Grosso do Sul;
1 no Rio de Janeiro;
1 em Minas Gerais;
1 em Goiás.

Mandados de prisão:

2 no Distrito Federal;
1 em Minas Gerais;
1 no Rio de Janeiro;
1 no Mato Grosso do Sul;
3 em São Paulo.

“Os fatos investigados constituem, em tese, os crimes de abolição violenta do Estado Democrático de Direito, golpe de Estado, dano qualificado, associação criminosa, incitação ao crime, destruição e deterioração ou inutilização de bem especialmente protegido”, disse a PF em nota.

“As investigações continuam em curso e a operação Lesa Pátria se torna permanente, com atualizações periódicas acerca do número de mandados judiciais expedidos, pessoas capturadas e foragidas.”

Fonte: Folhapress
Foto: Divulgação

relacionadas

talvez você goste