A Polícia Militar do Piauí (PM-PI), por meio do 20º Batalhão de Paulistana, com apoio dos Grupamentos Policiais Militares de Acauã, Queimada Nova, localizou um plantio aproximado de 100 mil pés de maconha em uma área de aproximadamente 20.000m² (2ha).

De acordo com a Polícia Miitar, a ação ocorreu por todo este sábado e domingo (19). No local ainda foram encontrados 100 (cem) quilogramas da da erva pronta para o consumo. A operação policial aconteceu na Localidade Caldeirãozinho, Data Serra Vermelha, zona rural de Paulistana-PI, região onde mais se plantou maconha no Piauí nas décadas de 80 e 90.

O local possuía 04 barracas com mantimentos, roupas, adubos, agrotóxicos, mangueiras, bomba de água e outros utensílios e ferramentas que davam suporte logístico ao cultivo ilegal da erva.

A Polícia Militar informou que o cultivo ilegal encontrado foi observado que os infratores, além de serem pessoas habituadas com a região, faziam técnicas para facilitar a fuga em uma possivel ação da polícia, a exemplo do uso de cachorros como “alerta” para identificar a presença de estranhos nas proximidades, e também as condições climáticas foram adversas, fortes chuvas caíram na região dificultando a chegada dos policiais na plantação, o que fez com que não fosse possível a prisão dos cultivadores, no entanto foram encontrados documentos pessoais de um homem que estaria no local e teria fugido no momento da chegada da polícia.

Além disso, o proprietário do imóvel rural já se encontra recluso no sistema prisional acusado do cometimento de outros crimes.
Conforme a Polícia Militar, a plantação ilegal de maconha estava sendo irrigada do açude público construído pelo DENOCS na Localidade Caldeirãozinho e possuía uma linha de produção moderna dívida em ciclos, com viveiro de mudas, plantas novas, adultas e material pronto para o consumo.

A Polícia Civil foi acionada e uma equipe da 12ª DRPC esteve presente no local auxiliando no processo de incineração do material encontrado.

Com informações da Ascom
Foto: Divulgação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *