Conecte-se conosco

Cidades

Piauí possui a maior taxa de mulheres que sofreram agressão física, afirma IBGE

Publicado

em

Piauí possui a maior taxa de mulheres que sofreram agressão física, afirma IBGE

As pessoas do sexo feminino estão em maior proporção entre aquelas que relatam terem sofrido alguma violência, seja física, psicológica ou sexual no Brasil. Em relação a agressões físicas, o Piauí se destaca entre os outros estados por ter a maior proporção de mulheres que sofreram esse tipo de violência. É o que aponta a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) 2019, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Neste quesito, a pesquisa considerou somente as pessoas com 18 anos ou mais de idade.

Conforme a pesquisa, cerca de 6,6% das mulheres adultas residentes no Piauí – 85 mil pessoas – informaram terem sofrido agressões físicas no período de 12 meses anteriores à data em que foram entrevistadas pelo IBGE. No país, a média é de que 4,2% das mulheres adultas – 3,6 milhões de pessoas – sofreram violência física no mesmo período. O estado com menor proporção de pessoas adultas do sexo feminino que relataram ter passado por situações semelhantes é a Paraíba, com proporção de 2,4%, o equivalente a 39 mil pessoas.

Entre os homens adultos do Piauí, o índice dos que sofreram violência física no período é 3,9%, o equivalente a 46 mil pessoas e cerca de 2,7 pontos percentuais a menos que as mulheres adultas do estado. Considerando a população adulta em geral, independentemente do sexo, 5,4% dos habitantes do estado – aproximadamente 130 mil pessoas – sofreram agressões físicas nos 12 meses anteriores à data em que foram entrevistados para a pesquisa.

No país, cerca de 6,6 milhões de pessoas adultas afirmaram terem sofrido violência física no período, o que representa 4,1% da população com 18 anos ou mais de idade. A taxa foi de 4% entre os homens adultos, apenas 0,2 pontos percentuais a menos que as mulheres adultas do Brasil e equivalente a 3 milhões de pessoas.

Violência psicológica
Os indicadores são mais acentuados quando se trata de violência psicológica. No Piauí, cerca de 17,1% dos habitantes adultos – 417 mil pessoas – afirmaram terem sofrido esse tipo de agressão nos 12 meses anteriores à data em que foram entrevistados pela pesquisa. Enquanto 19,1% das mulheres adultas do estado – 246 mil pessoas – passaram por esse tipo de violência, entre os homens adultos a taxa foi de 14,7% – 171 mil pessoas.

Os índices são semelhantes no país: cerca de 17,4% da população com 18 anos ou mais de idade já sofreu violência psicológica. Entre os homens adultos, a taxa é de 16% e, entre as mulheres adultas, é de 18,6%. Isso equivale a 27,6 milhões de pessoas, sendo 11,9 milhões de homens e 15,7 de milhões mulheres.

Violência sexual
Já os relatos de violência sexual são mais baixos, tendo atingido 4,7% da população adulta piauiense alguma vez na vida, o equivalente a 115 mil pessoas. Cerca de 3,4% dos homens adultos do estado – 39 mil pessoas – passaram por uma situação dessa e 5,8% das mulheres adultas – 75 mil pessoas.

A proporção geral do país é superior à do Piauí: cerca de 5,9% da população adulta brasileira sofreu agressões sexuais durante a vida, o que significa 9,3 milhões de pessoas. Entre os homens adultos do Brasil, apenas 2,5% relataram terem sofrido essa violência, enquanto, entre as mulheres adultas, a taxa sobe para 8,9%. Isso representa um contingente de 1,8 milhão de homens e 7,4 milhões de mulheres.

PNS 2019
Nesta divulgação, a PNS traz informações também sobre acidentes, doenças transmissíveis, atividade sexual, características do trabalho e apoio social. A pesquisa é resultado de uma parceria entre o IBGE e o Ministério da Saúde e levanta dados que servem de subsídio para a formulação de políticas públicas na área da saúde.

Fonte: IBGE

Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Banca de Jornal

Propaganda