A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta quarta-feira (10) a Operação Revalida com o objetivo de prender os membros e desestruturar organização criminosa, instalada no município de Teresina/PI, especializada em cometer falsificações no âmbito do Conselho Regional de Medicina, através da inserção de documentos falsos e diplomas fictícios para inscrição de profissionais não habilitados para exercer a profissão.

Esse grupo criminoso é, supostamente, responsável por uma série de emissões fraudulentas de registros de profissionais no CRM-PI.

De acordo com a PF,  a operação cumpriu sete mandados judiciais expedidos pelo Juízo da 3ª Vara Federal de Teresina/PI, da Seção Judiciária do Piauí, sendo quatro de busca e apreensão e três de prisão temporária, cumpridos nos municípios de Teresina/PI e São Luís/MA.

“Até o momento, as investigações identificaram nove registros expedidos pela organização criminosa. Número subdimensionado, tendo em vista a movimentação financeira milionária entre os alvos, que cobravam entre R$300 mil e R$500 mil”, destaca.

A Polícia Federal informou que os investigados poderão responder pelos crimes de compor organização criminosa, falsificação de documento público, uso de documento falso e lavagem de bens e valores.

Com informações da Ascom
Foto: Divulgação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *