O Palmeiras não tomou conhecimento do Coritiba, atropelou o lanterna do Campeonato Brasileiro em casa por 3 a 1 e encostou no líder Botafogo na tabela do torneio.

Construído com tranquilidade, o resultado deixou a equipe de Abel Ferreira com 19 pontos e apenas dois atrás dos cariocas, que perderam ontem. O time paranaense, por outro lado, estacionou com três pontos conquistados em nove partidas e vive situação caótica.

Os times voltam a jogar pelo Brasileirão no próximo fim de semana. O Palmeiras tem o clássico contra o São Paulo no domingo (11), enquanto o Coritiba, um dia antes, recebe o Santos no Couto Pereira.

Como foi o jogo
No 1° tempo, o Palmeiras insistiu nos cruzamentos e obteve sucesso. Foi desta maneira que Artur e Rony balançaram as redes e iniciaram a contagem diante de um frágil e retrancado Coritiba.

A 2ª etapa continuou com um “ataque contra defesa”, e Dudu deu show. O camisa 7 martelou o goleiro Gabriel e teve um gol anulado anulado, mas serviu de garçom para o próprio Rony decretar a vitória — em uma lambança na zaga paulista na reta final do duelo, Alef Manga descontou para os lanternas.

Gols e destaques
Abel toma bronca cedo. Em meio às investidas ofensivas do Palmeiras, o técnico do Palmeiras levou sua primeira advertência do árbitro Felipe Fernandes de Lima, que paralisou a partida para conversar após reclamações por parte do português, que não levou cartão amarelo.

Sustos pelo alto. Sem conseguir furar a retranca rival por baixo, o time mandante apostou em cruzamentos para abrir o placar. Artur, Rony e Dudu até tentaram, mas foi Luan o responsável por obrigar o goleiro adversário a trabalhar: aos 24 minutos, o zagueiro recebeu lançamento da esquerda e, dentro da área, testou firme antes de grande defesa de Gabriel.

Insistência gera gol. Os paulistas, de fato, mudaram o marcador cinco minutos depois, quando Piquerez teve liberdade e cruzou na medida para Artur, que apareceu entre dois defensores e, de primeira, balançou as redes do Coritiba antes de esquentar o Allianz Parque: 1 a 0.

Rony desencanta. O Palmeiras não teve nenhuma dificuldade para ampliar pouco tempo depois — desta vez, em ataque pela direita. Mayke caprichou no cruzamento em diagonal e encontrou Rony, que teve espaço, cabeceou com firmeza e marcou o seu primeiro gol neste Brasileirão: 2 a 0.

Coritiba ameaça resposta. O time de Antônio Carlos Zago só levou perigo ao gol paulista nos acréscimos da 1ª etapa, quando Zé Roberto, de cabeça, e Boschilia, em chute de fora da área, finalizaram à meta de Weverton, que praticou boas defesas nas duas ocasiões e foi aplaudido pela torcida.

Noite de homenagens. O intervalo no Allianz Parque contou com um desfile por parte de ex-jogadores que foram campeões paulistas com o Palmeiras em 1993 — o clube lançou hoje uma camisa comemorativa em alusão à conquista. Ídolos como Sérgio, Velloso, César Sampaio, Mazinho, Zinho e Edmundo participaram da ação. Zago, técnico do Coritiba, também acabou homenageado.

udu inferniza e marca, mas gol é anulado. O 2° tempo começou com Dudu fazendo um terror na defesa paranaense: primeiro, ele invadiu a área e errou, por pouco, o alvo. Depois, viu o goleiro dos visitantes operar um milagre em chute da esquerda. Para completar a sequência, ele chegou às redes após cruzamento, mas teve o gol anulado por estar em impedimento antes de desvio na área.

Camisa 7 vira garçom, e Rony faz o terceiro. Depois de ficar no quase três vezes, o atacante apareceu de novo — desta vez, dando uma linda assistência. Ele desarmou Júnior Urso e, rapidamente, acionou Rony em profundidade. O camisa 10, cara a cara com Gabriel, não titubeou e aumentou a vantagem: 3 a 0.

Trapalhada palmeirense. O Coritiba diminuiu aos 37 minutos da etapa final — em uma lambança de Weverton e Luan. Os dois palmeirenses tentaram cortar, sem sucesso, um cruzamento “inocente” da direita. A bola passou e ficou limpa para Alef Manga, que só teve o trabalho de empurrar para o gol e diminuir: 3 a 1.

Irritação antes de apito final. O clima esquentou já nos acréscimos, quando a dupla de zaga palmeirense, formada por Luan e Gustavo Gómez, tomou amarelo: o primeiro foi advertido por uma falta no meio de campo, e a decisão do árbitro irritou o segundo, que acabou punido por reclamação. Praticamente no lance seguinte, uma nova confusão gerou bate-boca e, pelo menos, três cartões aplicados por Felipe Fernandes de Lima.

Fonte: Folhapress
Foto: Reprodução

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *