A Operação Petróleo Real, realizada pelo Instituto de Metrologia do Estado do Piauí (Imepi) em parceria com Programa Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon/MPPI), interditou seis postos de combustíveis, entre os dias 14 e 19 de maio. Ao todo, os agentes de fiscalização visitaram 46 postos em 19 cidades do interior do Piauí.

Além da interdição de seis estabelecimentos, outros 35 postos foram reprovados por diversas irregularidades. Entre as principais encontradas, destacam-se: mangueira danificada, dígitos queimados, medida alta contra o proprietário, vazamento interno na bomba, divergência entre o volume entregue e o preço a pagar, proteção dos dígitos danificados, grafia, simbologia e legendas apagadas, lacre do densímetro violado e instrumento (bomba medidora) não desliga até 60s e com avanço nos dígitos e fiação exposta.

A fiscalização percorreu os municípios de Bela Vista do Piauí, Cajazeiras do Piauí, Campinas do Piauí, Colônia do Piauí, Conceição do Canindé, Floresta do Piauí, Paes Landim, Santa Rosa do Piauí, Santo Inácio de Assis, São Francisco de Assis, São João da Varjota, São Miguel do Fidalgo, Simplício Mendes, Socorro do Piauí, Isaías Coelho, Oeiras, Itainópolis, Tanque e Várzea Grande.

De acordo com a diretora-geral, Patrícia Leal, a meta do Instituto é atingir todo o território do Piauí o mais rápido possível. “Todos os dias nossas equipes vão a campo com o intuito de proteger consumidor. Na operação Petróleo Real, apenas cinco postos foram aprovados de 46 fiscalizados, um índice muito grande de irregularidades encontradas. Vamos continuar com o trabalho de fiscalização em conjunto com o Procon e a Deccortec para defender o consumidor”, explica a gestora.

Segundo o coordenador de fiscalização do Procon/MPPI, Arimatéa Leão, a parceria entre Imepi e Procon garante a população mais segurança ao abastecer. “A nossa operação foi bastante exitosa. Nós interditamos no interior do estado postos que estavam exercendo vantagem em relação ao consumidor. Haviam extintores vencidos e faltava equipamento para análise, que é um item obrigatório para funcionamento do posto”, ressalta.

O representante da Assembleia Legislativa e membro da Comissão de Defesa do Consumidor da Alepi, deputado estadual Warton Lacerda, garantiu o compromisso em acompanhar as fiscalizações realizadas para autuar os empresários infratores. “Estamos observando que muitos empresários da área estão agindo de má fé ao colocar desculpas para não cumprir a portaria. O povo precisa sentir no bolso essa diferença ao abastecer e para isso não vamos medir esforços para fiscalizar em conjunto com os órgãos responsáveis”, afirma o deputado.

Em caso de irregularidades, o consumidor pode enviar uma denúncia através da ouvidoria do Imepi, com o número (86) 9456-1921.

Fonte: CCom
Foto: Divulgação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *