Conecte-se conosco

Sem categoria

Maguito Vilela, prefeito de Goiânia, morre aos 71 anos

Publicado

em

O prefeito de Goiânia, Maguito Vilela (MDB), morreu nesta quarta-feira (13), aos 71 anos. A informação foi confirmada na página oficial do político em uma rede social.

Maguito estava internado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, desde o dia 27 de outubro para tratamento da covid-19. Segundo sua assessoria, ele lutava contra uma infecção pulmonar diagnosticada na semana passada.

“A família está providenciando o traslado do corpo de São Paulo para Goiás e ele deve ser sepultado em Jataí, sua terra natal. Assim que tivermos mais informações repassaremos”, informou a nota.

Mesmo internado, Maguito foi eleito no segundo turno com 277.497 dos votos (52,60% dos votos válidos), contra 250.036 de seu rival, Vanderlan Cardoso (47,40%).

Mesmo à distância, ele foi diplomado ao cargo em dezembro, mas se licenciou do cargo após tomar posse por meio de assinatura eletrônica no dia 1º de janeiro. A administração da capital goiana está a cargo do vice-prefeito Rogério Cruz (Republicanos).
O último boletim médico divulgado pelo Hospital Albert Einstein, ontem, informava que Maguito Vilela estava sedado para o tratamento de infecção pulmonar grave.

Duas irmãs dele — Nelma, 76, e Nelita, 82 — morreram em agosto, vítimas da covid-19. Na época, Vilela prestou homenagem a ambas nas redes sociais e agradeceu a todas as orações e mensagens de apoio recebidas. Ele também se solidarizou com as famílias que também perderam entes queridos durante a pandemia.

Carreira política
Maguito tem uma longa trajetória na política goiana. Em 45 anos de vida pública, mudou de partido apenas na transição para a democracia, quando trocou a Arena pelo MDB. Já foi vereador, deputado estadual e federal e vice-governador.

Ele também ocupou a cadeira de governador de Goiás entre 1995 e 1998 e logo depois foi eleito para o senado federal, de 1999 a 2007.

Antes de ser eleito em Goiânia, Maguito foi prefeito de Aparecida de Goiânia, na região Metropolitana da capital, entre 2009 e 2016.

Fonte: Folhapress

Banca de Jornal

Propaganda