A Audiência de Barcelona decidiu nesta segunda-feira que Daniel Alves continuará em prisão provisória pela acusação de agressão sexual contra uma mulher de 23 anos, na discoteca Sutton, em 31 de dezembro de 2022.

A defesa do jogador havia entrado com um recurso pedindo a liberdade até o julgamento. A Audiência de Barcelona analisou o recurso na sexta-feira e divulgou a decisão nesta segunda (12).

É a terceira vez que um recurso pedindo a liberdade do brasileiro é negado, desde que ele foi preso em 20 de janeiro.

Os advogados de Daniel Alves argumentavam que não há risco de fuga da Espanha, um dos motivos pelos quais ele está em prisão provisória.

O novo argumento da defesa era que os filhos de Daniel Alves estão de mudança para Barcelona, o que aumentaria o vínculo do jogador com a cidade.

Em documentos obtidos pelo UOL, os juízes da Audiência de Barcelona diminuem a importância do argumento.

A justiça considerou que o processo de mudança “parece ter sido feito para este fim, pois aconteceu no mesmo dia em que foi negada a liberdade”, referindo-se ao segundo recurso, em maio.

De acordo com fontes jurídicas ouvidas pelo UOL, há a possibilidade que este recurso tenha sido a última tentativa de tirar Daniel Alves da prisão antes do julgamento, que ainda não tem data para acontecer.

Próximos passos
A fase de instrução do processo de Daniel Alves está perto do fim, segundo fontes da Justiça espanhola. Espera-se que nos próximos dias seja feita uma perícia psicológica, o que seria a fase final deste momento do caso.

Há uma expectativa entre as partes envolvidas no caso que o julgamento aconteça ainda este ano, no último trimestre. Caso seja condenado, Daniel Alves pode pegar uma pena de 4 a 12 anos de prisão.

Fonte: Folhapress
Foto: Arquivo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *