O governador do Piauí, Rafael Fonteles (PT), destacou em entrevista à Folha de São Paulo a importância do investimento público para que a iniciativa privada entre na parceria. O chefe do executivo do Piauí também acrescentou que os investimentos prioritários no estados são de rodovias, obras hídricas e ligação da região Sul com o porto de Luís Correia.

De acordo com Rafael Fonteles, o ministro Rui Costa (Casa Civil) tem recebido os representantes dos estados para que listem as suas prioridades para o novo PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). O governo federal ainda não definiu o orçamento do programa.

“É extremamente importante ter um programa de infraestrutura. Já se investiu mais de R$ 120 bilhões por ano. No ano passado, menos de R$ 20 bilhões foram investidos. Todos nós sabemos que o investimento privado é de maior monta, mas se você não tem um governo investindo em infraestrutura, você não alavanca o investimento privado”, afirma.

“Sou da tese de que o investimento público tem que ser alto para que o privado seja ainda maior”, acrescenta Fonteles.

Fonteles destacou que obras prioritárias estãonas áreas de rodovias, obras hídricas (adutoras e barragens) e um projeto multimodal (rodovias, ferrovia e hidrovia) de ligação da região sul do estado com o porto de Luís Correia, que deve ser inaugurado em dezembro.

Com experiência em finanças públicas, pois foi ex-secretário da Fazenda do Piauí (2015-2022) e ex-presidente do Comsefaz (Comitê Nacional dos Secretários de Fazenda dos Estados e do Distrito Federal), Fonteles elogia o projeto de arcabouço fiscal do governo Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

“É uma matéria importantíssima, a ser apreciada logo. Acho que o ministro Fernando Haddad e sua equipe acertaram no texto, o fundamental é sinalizar estabilidade da dívida sem prejudicar os programas sociais e de infraestrutura que foram colocados na campanha do presidente Lula”, avalia.

Veja a matéria na íntegra

Da Redação
Com informações da Folha de São Paulo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *