A Imperatriz Leopoldinense é a grande campeã do carnaval 2023 no Rio de Janeiro. A Verde e Branca de Ramos chegou ao nono título da história apenas um ano depois de regressar ao Grupo Especial — em 2019, foi rebaixada para a Série Ouro, conquistou em 2020 o acesso e reestreou na elite em 2022, quando ficou em 10º lugar.

A vitória, 22 anos depois da última conquista, veio com uma divertida fábula sobre Lampião, o Rei do Cangaço. Leandro Vieira, que conquistou seu terceiro campeonato no Grupo Especial, retratou a vida e a morte do jagunço, barrado no inferno e no céu, à luz da cultura do cordel e num Nordeste multicolorido.

“Feliz demais! Dedico esse título ao meu pai que faleceu [Luizinho Drummond]. Ele foi quem fez a Imperatriz. Eu tenho certeza de que o céu está em festa, tenho certeza de que o Complexo do Alemão está em festa. É para vocês, Complexo!”, vibrou Cátia Drummond, presidente da Verde e Branca.

Ela ainda prometeu “15 mil latas de cerveja” para a comunidade, na quadra.


Expedida Ferreira Nunes, de 90 anos, filha de Lampião, se emocionou com a vitória. “Foi muito emocionante. Eu não vim para perder. Essa é uma homenagem ao Nordeste”, disse.

“Cria” da Imperatriz, o carnavalesco Leandro Vieira esteve na comemoração do título na quadra da escola. Ele disse que acompanhou a apuração de casa, porque não tem “saúde mental” para ir para a Apoteose durante a leitura das notas.

“É maravilhoso fazer parte de um projeto que pensa na campeã. Estou muito feliz. Não fui pra Sapucaí porque passei o dia todo com dor de barriga nervoso”, disse ele ao g1. Leandro chega ao quinto título de 10 carnavais trabalhados na Série Ouro e Grupo Especial.

Expedita Ferreira, única filha de Lampião e Maria Bonita, desfila pela Imperatriz Leopoldinense

Desfile das campeãs
No próximo sábado (25), a Imperatriz vai encerrar o desfile das campeãs. Segundo a Liesa, há ingressos à venda no Setor 11 da Sapucaí, somente em dinheiro.

6º lugar: Acadêmicos do Grande Rio
5º lugar: Estação Primeira de Mangueira
4º lugar: Beija-Flor de Nilópolis
3º lugar: Unidos de Vila Isabel
Vice-campeã: Unidos do Viradouro
Campeã: Imperatriz Leopoldinense

O Império Serrano terminou em 12º lugar e foi rebaixado para a Série Ouro.

Classificação final
1 – Imperatriz Leopoldinense: 269,8
2 – Unidos do Viradouro: 269,7
3 – Unidos de Vila Isabel: 269,3
4 – Beija-Flor de Nilópolis: 269,2
5 – Estação Primeira de Mangueira: 269,1
6  – Acadêmicos do Grande Rio: 268,6
7 – Acadêmicos do Salgueiro: 268,5
8 – Paraíso do Tuiuti: 268,3
9 – Unidos da Tijuca: 268,2
10 – Portela: 267,7
11 – Mocidade Independente de Padre Miguel: 266,6
12 – Império Serrano: 265,6


A Imperatriz liderou a apuração de ponta a ponta e, de Evolução em diante, ficou isolada na primeira colocação. A escola só perdeu dois décimos entre as notas válidas: um em Comissão de Frente e um em Evolução.

Nas últimas notas, um susto: a distância de três décimos para a Viradouro caiu para um. Se Ramos tivesse levado três 9,9, o título iria para Niterói.

Nas primeiras alas, a escola costurou a vida de Lampião e seu bando com cultura popular nordestina da época, com beatos, repentistas, cordelistas, carpideiras e mamulengueiros.

As desventuras do cangaceiro, pelo menos em vida, já terminaram no segundo carro. Não menos colorida que a primeira, a alegoria mostrava a morte do bando pela polícia.

Desse momento em diante, a Imperatriz assumiu um tom vermelho pra narrar a jornada de Lampião ao inferno.

Fonte: globo.com
Foto: Reprodução

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *