A Secretaria da Assistência Técnica e Defesa Agropecuária (Sada) e a Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Piauí (Adapi), comunicam que a primeira etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa no Piauí foi prorrogada. O novo prazo será até 30 de junho de 2023, e a declaração da vacinação ser realizada pelo produtor até o dia 15 de julho, por meio do Sistema Informatizado de Defesa Agropecuária (Sidapi).

A medida foi definida após solicitação da Sada junto ao Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa).

“O motivo principal da nossa solicitação junto ao Ministério é evitar transtornos ao produtor e prejuízos à cobertura vacinal. Também se deu pela dificuldade do setor privado em relação à logística, em fazer a vacina chegar até os produtores e fazendas que estavam demandando. Portanto, com essa nova data, o pecuarista poderá vacinar o seu rebanho com mais tranquilidade”, disse o secretário, que também destacou a importância da cobertura vacinal para o Piauí.

“No ano passado, conseguimos fazer uma cobertura de 93%, para 2023 a meta é chegar a 95%. Esse é um passo importante para que o estado conquiste o status de área livre de febre aftosa sem vacinação até 2025”.

Além disso a Adapi, ainda alerta que, sem a vacinação, os produtores podem ser multados e ficam impedidos de comercializar e transportar o animal, pois não conseguirão emitir a Guia de Trânsito Animal (GTA). O produtor também precisa ter a comprovação da vacina para conseguir financiamento com os bancos e para realizar a compra de milho na Conab, utilizado na ração animal.

Fonte: Ascom
Foto: Reprodução

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *