Tornar-se líder nacional era o seu destino e desiderato. Irá ombrear-se a Petrônio Portela e Chagas Rodrigues homens públicos piauienses que marcaram as décadas de 50, 60 e 70, prioritariamente. Certamente, até superá-los, porquanto de uma época e/ou momento em que a sociedade é mais presente e exigente quanto aos seus direitos e garantias coletivas, individuais e difusas. E onde a imprensa é mais esclarecida e atuante. E a rede social, a internet, democratizou as informações, exercendo um empoderamento incrível e inédito no âmbito da sociedade e/ou do cidadão quanto ao atendimento de suas necessidades, demandas e cidadania.

​Esta sua liderança, futura no Estado e no Brasil, projetou-se, não apenas, quando Secretário da Fazenda do Piauí e eleito pelos seus colegas Secretários, Presidente do Conselho Nacional dos Secretários da Fazenda do Brasil – Consefaz, onde notabilizou-se e liderou, mas quando ainda estudante no Dom Barreto onde aos 14 anos lecionava para os colegas. E depois como renomado professor universitário premiado nacional e internacionalmente em matemática, física e química e sempre em primeiro lugar.

​Entretanto, antes que alguns o digam, eu o farei aqui e agora: Rafael tem outros aliados fervorosos na sua sempre ascendente carreira: a humildade, a simplicidade, a educação aprimorada e a delicadeza.

​E é um líder que aprimora esses conceitos e essas formas de conduta, esses costumes constantemente.

​De aluno fenômeno no Dom Barreto, de líder infantil no Dom Barreto, de professor premiado, de magistral Secretário da Fazenda, de líder dos colegas Secretários da Fazenda e de Presidente da Consefaz, para Governador do Piauí, eleito em primeiro turno, e sem jamais ter sido eleito nem sequer a Vereador. Nunca foi político, embora filho de um deputado federal atuante e sério, Nazareno Fonteles.

​E, como Chefe do Executivo do Piauí, e apenas com seis meses no cargo de Governador, destaca-se exuberantemente no País como o Governador mais bem avaliado do Brasil e atuante do País, superando os governadores do Paraná e Rio Grande do Sul, e ambos reeleitos. E com mais quilômetros rodados na política partidária.

​Além dessa sua futurista trajetória ascendentemente, Rafael sobressai-se muito, bem em todas as atividades empreendidas sem querer deixar os seus concorrentes para trás, mas focando sempre e construindo os seus objetivos. Porque o seu interesse primordial é materializá-los e o que sempre o faz com rigor e primorosamente.

​E, como Governador, consolida essa sua projeção nacional pelas metas e ações que impõe rigorosamente, como imprescindíveis dentro do Planejamento estratégico, que elabora para o Estado, para vigência no período de 2024/2027, convergindo para o auditório do TCE 200 técnicos e gestores e para a APPM – Associação Piauiense dos Prefeitos Municipais 200 Prefeitos, ambos fatos e registros históricos inalcançáveis pelos seus colegas Governadores com esta sua liderança consagrada e ímpar no Estado, as demandas internacionais na Estônia, Portugal e Alemanha, criando escritórios do Piauí na Estônia e em Portugal, para atrair investidores e/ou empreendedores para o Estado, as escolas de tempo integral, nomeação de 1.100 homens para aumentar a segurança do Estado e do cidadão, e a informatização do Estado dentre outras ações e metas, programas e planos, projetos estes assegurando a estabilidade social, econômico e cultural do Piauí.

Este será o caminho trilhado e batido pelo Governador Rafael nos próximos 4 anos, com o empoderamento total de suas ações e metas e a construção de programas, planos e projetos que assegurarão ao Estado e à sociedade piauiense desenvolvimento integral participativo para eliminar a pobreza endêmica de 1,4 milhão de piauienses e o analfabetismo crônico que ainda, infelizmente, dominam o Piauí e a sociedade, porém, o Governador quer eliminá-los, criando emprego e renda para todos permanentemente. O caminho é longo, difícil, cheio de obstáculos, mas possível de ser concretizados prof. Rafael Fonteles.

​MAGNO PIRES é Diretor-geral do Instituto de Águas e Esgotos do Piauí – IAE-PI, Ex-Secretário de Administração do Piauí e ex-presidente da Fundação CEPRO, advogado da União (aposentado), professor, jornalista e ex-advogado da Cia. Antáctica Paulista (hoje AMBEV) por 32 anos e Vice-presidente da Academia Piauiense de Letras-APL.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *