Conecte-se conosco

Política

Governador discute estratégias sanitárias para as eleições

Publicado

em

O governador Wellington Dias esteve reunido, nessa quarta-feira (11), com o secretário estadual da Saúde, Florentino Neto, e com o diretor do Hospital Nathan Portela e membro do COE, José Noronha, para tratar das estratégias sanitárias para as eleições municipais que ocorrerão no próximo dia 15 em todo o Piauí.

De acordo com Wellington Dias, para as eleições a recomendação é a regra eleitoral já divulgada pelo Tribunal Superior Eleitoral.

“Estamos ajudando na divulgação sobre a coordenação do Tribunal Regional Eleitoral e, é claro, por outro lado vamos cobrar que as pessoas possam cumprir os protocolos relacionados ao uso da máscara e a higienização. Foi isso que nos trouxe até aqui, evitando que houvesse uma subida brusca na disseminação de coronavírus no Piauí. Hoje, estamos em uma situação de estabilidade que permite ao estado do Piauí uma condição favorável para que tenhamos um número adequado de pessoas comparecendo e participando do democrático processo eleitoral”, destacou o chefe do executivo.

O membro do COE, José Noronha, destacou que as ações serão implementadas do Estado.

“Vamos focar nas medidas de higiene sanitária que já são aplicadas à população e organização de fluxos e redução do tempo que as pessoas ficam expostas para realizar o processo eleitoral, visando diminuir este tempo com a organização do fluxo”, disse.

O secretário Florentino enfatizou que o TSE é soberano sobre o disciplinamento das eleições no Brasil e estabeleceu um Plano de Segurança elaborado pela Fio Cruz e outros organismos e que vamos seguir.

“Queremos, como autoridade sanitária, estar auxiliando naquilo que for necessário às autoridades da Justiça Eleitoral, para que tenha um pleito que assegure à população ao direito do voto é que a gente possa assegurar a saúde das pessoas com todas as medidas higiênico sanitária sejam respeitadas”, disse.

Plano B da Imunização
Na oportunidade, os gestores trataram também do Plano Nacional de Imunização e o governador piauiense revelou que está trabalhando tanto com o Plano A (Plano de Imunização Nacional) quanto com o Plano B (Plano de Imunização Estadual).

“Trabalhamos aqui estratégia relacionada à vacina. O Plano A diz respeito ao Programa Nacional de Imunização que é no que acreditamos e compreendemos que a decisão da reação do Brasil inteiro, do Comitê Científico e Congresso, fez com que voltássemos aos trilhos e a Anvisa retomou os testes da vacina Coronavac, do Instituto Butantã. Isso permite que tenhamos alternativas, tanto o Butantã, Fio Cruz, Pfizer, a vacina Rússia, como vacinas que estão concluindo a terceira etapa, acompanhada pela Anvisa e na perspectiva de condições de vacinação no primeiro trimestre de 2020” explica.

No entanto, o gestor ressalta que caso haja qualquer impedimento, o Fórum dos Governadores do Nordeste junto com os governadores do Brasil e os municípios irão recorrer para garantir a vacinação a partir da primeira que estiver pronta e regulamentada pela Organização Mundial de Saúde.

“Se houver qualquer manobra por quem quer que seja temos que estar preparados. Estamos dispostos a recorrer a qualquer uma das vacinas que estejam autorizadas pela OMS e se houver algum problema com recursos da União que possamos utilizar recursos dos Estados”, explicou.

Para tanto, o governador explicou que está sendo montado um plano estratégico onde está sendo feito o levantamento das condições de armazenagem, qualificação de equipe, segurança dentre outros quesitos.

Dias destacou que vai trabalhar com as prioridades: os profissionais da saúde, segurança, maiores de 60 anos, pessoas com comorbidades e também com a educação para que o setor possa voltar a funcionar logo no início do ano com segurança.

“Isso tem a ver também com as outras doenças e assim vamos poder dar conta de uma fila que se acumulou com as outras doenças e isso aqui é emergencial”, finalizou.

Fonte: CCOM

Política

Covid-19: Defensoria suspende atendimentos presenciais por 7 dias

Publicado

em

Devido ao agravamento da pandemia ocasionada pelo novo coronavírus, a Defensoria Pública do Estado do Piauí está suspendendo, por um período de 7 dias, os atendimentos presenciais. O atendimento remoto permanece sendo realizado normalmente, e pode ser feito a partir dos contatos disponibilizados no site www.defensoria.pi.def.br e nas redes sociais da Instituição, como o Instagram @defensoriapiaui e a fanpage @DefensoriaPublicadoEstadodoPiaui.

A decisão sobre a suspensão consta na Portaria conjunta GDPG/CG Nº 02/2021, datada de 05 de março de 2021, sendo assinada pelo defensor público geral, Erisvaldo Marques dos Reis e pela corregedora-geral, Ana Patrícia Paes Landim Salha.

Ao estabelecer a medida, o defensor público geral e a corregedora-geral consideraram, entre outros pontos, que os dados recentemente divulgados pelo Governo do Estado do Piauí evidenciam aumento substancial de ocupação de leitos clínicos públicos destinados aos pacientes com Covid-19 tanto na capital como no interior do Estado; assim como a necessidade de prevenção à infecção e à propagação do novo coronavírus, de modo a reduzir os riscos epidemiológicos de transmissão do vírus e preservar a saúde de agentes públicos e usuários da Defensoria Pública, buscando evitar contaminações de grande escala que possam sobrecarregar ainda mais o sistema público de Saúde.

Fonte: Ascom DPE-PI

Continue lendo

Política

FMS, SESAPI e HU formam comitê de crise para enfrentar a Covid-19

Publicado

em

A Prefeitura de Teresina está fazendo um trabalho em conjunto com a rede estadual e federal para elaborar um novo plano de ação de combate à Covid-19. Ontem (04), o presidente da Fundação Municipal de Saúde (FMS) Gilberto Albuquerque esteve em reuniões com representantes destas esferas, e estão formando um comitê de crise com o objetivo de
promover uma maior integração e dar mais resolutividade no enfrentamento à doença.

As reuniões tiveram início ontem (04) entre o presidente da FMS e o secretário estadual de Saúde, Florentino Neto. Juntos, traçaram o plano e analisaram as possibilidades de abertura de novos leitos, do ponto de vista da capacidade de equipamentos, insumos e pessoal. Gilberto Albuquerque explica que desde o início do aumento mais expressivo nas taxas de ocupação, já foi possível ampliar o número dos leitos de UTI em hospitais como HUT, HGV, HU, Natan Portela e HPM, o que elevou o número de 144 para 186 em Teresina. Durante a reunião, eles calcularam ainda a possibilidade limítrofe para uma possível ampliação de acordo com a necessidade.

De posse destes dados, a equipe se reuniu também com o Hospital Universitário e decidiram formar um comitê de crise formado pelas três esferas. “O objetivo é que, tendo uma maior integração, a gente consiga resolver esses problemas com o envolvimento de todos e uma agilidade na integração. Assim, nós faremos o novo plano de ação para enfrentar a Covid-19 nessa situação de pandemia com esse envolvimento dos três entes”, esclarece o presidente da FMS.

De acordo com o boletim da FMS, na data de hoje (05), Teresina apresenta uma taxa de ocupação de leitos de UTI de 85,78%, incluindo leitos públicos, privados e filantrópicos. Em relação aos leitos clínicos, a taxa está em 69,81%. Já na rede municipal, a taxa de ocupação está em 100% para leitos de UTI, e 64,23% de leitos clínicos.

Fonte CCOM

Continue lendo

Política

Governador diz que 50 milhões de pessoas podem ser vacinadas em abril

Publicado

em

O governador Wellington Dias afirmou, nesta sexta-feira (5), que existe a possibilidade de que 50 milhões de brasileiros sejam vacinados até o fim do mês de abril. Isso se deve à ampliação da linha de produção do Instituto Butantan, que deve entregar 27 milhões de doses da vacina CoronaVac ainda este mês.

Segundo Wellington, com o maior volume de produção, com as vacinas CoronaVac, da AstraZeneca e ainda com a possibilidade da chegada de vacina da Coréia, o Brasil pode atingir o patamar de 20 milhões de pessoas vacinadas em março e 50 milhões em abril.

“Estamos cobrando o Plano Estratégico Nacional de Imunização e temos acertado com o Ministério da Saúde e outros atores, para atingirmos a meta de chegar em abril com 25% da população brasileira vacinada, algo em torno de 50 milhões de pessoas. Isso significa a vacinação de todo o grupo de risco, de pessoas com mais de 60 anos e os abaixo de 60 que possuem comorbidades. Vamos ter um grupo de trabalho com os governadores de cada região do Brasil para acompanhar, junto ao Ministério da Saúde, passo a passo do cronograma de vacinação”, disse Dias.

Fonte: CCOM

Continue lendo

Popular