Conecte-se conosco

Economia

Fecomercio: Mais de 53% dos teresinenses têm dívidas com cartão de crédito

Publicado

em

Fecomercio: Mais de 53% dos teresinenses têm dívidas com cartão de crédito

No mês de Novembro de 2021, a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor de Teresina (PEIC ), realizada pela CNC – Confederação Nacional do Comércio de Bens e Serviços e Turismo, em parceria com a FECOMERCIO-PI, revela que 53,7% das famílias da Capital do Piauí relataram possuir dívidas com cartão de crédito, carnês de lojas, crédito consignado, cheques pré, cheques especial, financiamento de casa e de carro , enquanto que no mês anterior o percentual foi de 52,1%. Dessa forma, 46,3% não tem dívidas. A proporção das famílias que se declararam muito endividadas alcançou o índice de 6,5%, enquanto a fatia que considerou pouco endividado foi de 32,2%. Tudo isso mostra que o consumidor vem se afastando dos Bancos e outras instituições de crédito por causa das altas taxas de juros do mercado, bem como o dinheiro do 13º salário que o consumidor destinou ao pagamento das dívidas atrasadas.

Os instrumentos de crédito mais utilizados pelas famílias para contrair dívidas foram os cartões de crédito com 93,2% e carnês de lojas ( citados por 24,7% dos entrevistados ), seguido por financiamento de carro (12,1% ), crédito pessoal ( 8,2% ) financiamento de casa ( 6,0% ) e crédito consignado 1,6%. Pelos resultados das pesquisas anteriores constata-se que as famílias aos poucos estão aderindo aos cartões por causa das facilidades deste crédito, embora os juros continuem altos. Em dezembro de 2016 a participação do cartão nas dívidas dos Consumidores era de 83,6%, e em novembro 83,0%.

A parcela de famílias com contas em atraso aumentou 3,1 pontos percentuais em relação ao mesmo mês do ano anterior, passando de 17,1% para 14, 4,% neste mês. Este resultado mostra que apesar das famílias estarem devendo mais, houve uma redução também nos atrasos nos pagamentos.

Com relação ao tempo destinado a quitar as dívidas atrasadas, 31,0% declararam que poderão pagá-las mas num prazo de até 30 dias, entretanto, 44,1% disseram que têm condição de quitá-las mas com um prazo acima de 90 dias. Ademais, 66,7% dos devedores mais ricos ou seja, aqueles que faturam acima de 10 salários mínimos declararam que podem quitar todas as dívidas atrasadas em até 30 dias e 33,3% entre 30 e 90 dias.

O TEMPO MÉDIO de comprometimento com dívidas entre as famílias teresinenses endividadas foi de 9,9 meses, sendo que 7,7% delas estão comprometidos com débitos até 3 meses e 58,9% por mais de um ano.

O percentual de famílias que declararam na Pesquisa não ter condições de pagar as contas ou dívidas em atraso atingiu 4,5% do total de endividados e que, portanto permanecem inadimplentes.

Aos poucos as famílias estão evitando o endividamento para equilibrar as contas. Com as receitas da segunda parcela do 13º salário que entraram nas contas em novembro, uma parte foi destinada a quitar dívidas.

Os dados da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC ) são coletados em todas as capitais dos Estados com cerca de 18 mil consumidores.

Nonato Paz é assessor econômico da FECOMERCIO-PI e do Instituto Fecomércio de Pesquisa e Desenvolvimento – IFPD -PI

Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Banca de Jornal

Propaganda