O 2º Tribunal do Júri de Teresina condenou o ex-Policial Militar Max Kellysson Marques Marreiros a 12 anos e 2 meses anos de prisão pela tentativa de homicídio qualificado em regime fechado em julgamento realizado na última terça-feira (7). O Ministério Público do Estado do Piauí, representado pelo Promotor de Justiça João Malato Neto, teve a sua tese ministerial acatada na íntegra

De acordo com a Justiça, Max Kellyson participou ativamente na tentativa de assassinato, enquanto a vítima estava em sua própria residência, a qual foi surpreendida e violentamente atacada com socos e tapas em sua face, bem como esganada com golpes de “mata-leão”.

“Consta dos autos, o condenado estava agredindo fisicamente sua companheira, quando esta correu e bateu na porta da vítima pedindo socorro, tendo sido atendida por esta. Após, o acusado enfurecido, arrombou a porta do apartamento da vítima e passou a espancá-la impiedosamente. Num momento de descuido do agressor, a vítima conseguiu correr até o elevador, quando novamente foi alcançada pelo condenado, que aplicou-lhe um golpe de mata-leão, derrubando-a ao solo, esperando covardemente a sua morte. Na sequência, a vítima somente não morreu, devido a pronta intervenção de um vizinho, fazendo com que a ofendida se desvencilhasse de seu agressor e procurasse abrigo na portaria de seu prédio”, diz a decisão.


“Ainda não satisfeito, o condenado retornou até o apartamento da vítima e quebrou todos os utensílios deste, causando-lhe um prejuízo considerável. Este crime à época dos fatos causou grande repercussão na sociedade de Teresina/PI, onde a população clamava por justiça em virtude da violência e da covardia do crime”, destaca.


Da Redação
Foto: Reprodução

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *