O Dia Mundial da Hipertensão Arterial, celebrado na quarta-feira (17), é uma data criada para a conscientização sobre a doença, suas causas, consequências e formas de se manter uma vida saudável. Apenas no Brasil, de acordo com relatórios do Ministério da Saúde, 26,3% da população adulta possui algum diagnóstico de “pressão alta”, um aumento de 3,7% nos últimos 15 anos.

A Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) é uma doença crônica caracterizada por elevação persistente da pressão realizada pelo sistema cardíaco a índices iguais ou maiores que 140 mmHg na pressão sistólica e igual ou maior que 90 mmHg na pressão diastólica (índice 14/09), em pelo menos duas ocasiões diferentes.

De acordo com o Ítalo Holanda do Vale, médico cardiologista do Grupo Med Imagem, é comum que a doença não apresente sintomas aparentes, prejudicando determinados órgãos com o passar do tempo. “Por se tratar de condição frequentemente assintomática, costuma evoluir com alterações em órgãos-alvo, como coração, cérebro, rins e vasos. Ela é o principal fator de risco modificável para doenças cardiovasculares, doença renal crônica e morte prematura”, alertou o médico.

Comumente associada ao avanço da idade, o desenvolvimento da hipertensão arterial também ocorre em crianças e jovens com alguns fatores de risco, aponta o cardiologista. “Com o envelhecimento, o aumento na Pressão Arterial Sistólica (PAS) torna-se um problema mais significativo, resultante do endurecimento progressivo e da perda de complacência das grandes artérias. Já entre os jovens e adolescentes, a hipertensão arterial primária parece ser a forma mais comum, geralmente associada ao sobrepeso, à obesidade ou à história familiar de hipertensão”, destacou o médico.

Dicas para prevenir/reduzir os efeitos da doença

Por ser uma doença crônica, a hipertensão arterial pode ser controlada através de um bom acompanhamento médico e de algumas orientações, que servem muito bem também para quem quer evitar a doença, tais como:

– Manter peso corporal adequado;
– Consumir até 5 gramas de sal de cozinha por dia;
– Praticar atividade física regularmente (150 min. por semana ou mais);
– Reduzir o consumo de álcool e evitar drogas ilícitas;
– Evitar algumas medicações com potencial para aumentar a pressão arterial.

Caso possua o diagnóstico de hipertensão ou possua histórico familiar da doença, atitudes como consultas periódicas ao cardiologista, aderência ao tratamento medicamentoso e não medicamentoso devem ser seguidas para ajudar a reduzir ou mesmo evitar complicações futuras que essa doença pode trazer. Dia Mundial da Hipertensão traz alerta sobre cuidados com a saúde


Fonte: Ascom
Foto: Divulgação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *