Conecte-se conosco

Política

Decreto emitido pelo governo é ilegal, afirma Valdeci Cavalcante

Publicado

em

O presidente da Fecomércio-PI, Valdeci Cavalcante, divulgou vídeo nesta quarta-feira (27) afirmando que o decreto emitido pelo governo do estado que restringe o funcionamento do comércio e shoppings é ilegal.

“Esse decreto é ilegal. O governador está usurpando o poder dos municípios. Eu recomendo aos senhores prefeitos que cruzem os braços e não cumpram este decreto e não precisam vocês fazerem nada. Vocês não podem baixar um decreto revogando o decreto do governador, mas também não cumpram  porque é ilegal””, explica.

Valdeci Cavalcante acrescenta que o governador Wellington Dias vem fazendo campanha pelos estados para presidência ou vice-presidência da República.

“Este decreto do governador é injusto e uma demonstração de incompetência administrativa e de muita negligência. O governador usou muito dinheiro público federal para montar hospitais de campanha, montar uma estrutura de combate à covid-19. Logo, logo, embora mal montada, foi desarticulada. Agora, vem uma nova onda da covid-19 e o governador está passeando pelo Brasil todo pedindo voto para presidente ou para vice-presidente da República”, destaca.

Conforme Valdeci Cavalcante, o governador Wellington Dias está pouco ligado para o Piauí, inclusive vem cedendo vaga de hospitais para outros estados.

“O governador está dando vaga de hospitais do Piauí para outros estados. Está querendo transferir vacinas para outros estados. Esse governo mais uma vez prejudica a classe empresarial e por tabela os trabalhadores. No início da pandemia, o governo Bolsonaro manteve os contratos de trabalho pagando. Agora, não tem mais. Agora, quem vai pagar esses trabalhadores? Nós, empresários, vamos pagar? Como? Se os atos do governo do estado nos levou a falência e ao endividamento e nós mantivemos os nossos empregados. Agora, não dá mais governador”, lamenta.

Valdeci Cavalcante afirma que o governador será o responsável pelas demissões no setor privado

“O senhor vai levar o ônus das demissões que vão acontecer. Nos, empresários, temos a consciência social, pois quando demitimos um trabalhador, estamos condenando-o a sua família à fome. Mas o senhor não tem sensibilidade para isso. O senhor condena os empresários à falência e à insolvência e agora está condenando os trabalhadores. O senhor vai pagar esse conta, destaca.

Orlando Dias
Da Redação

Banca de Jornal

Propaganda