Conecte-se conosco

Cidades

CRM-PI critica decreto da Prefeitura de Teresina por flexibilizar o comércio

Publicado

em

O Conselho Regional de Medicina do Estado do Piauí (CRM-PI) emitiu nota neste sábado (30) contra o decreto da Prefeitura de Teresina que flexibilizou as medidas sanitárias com a justificativa que a economia e a saúde devem caminhar juntas.

O CRM-PI manifesta apoio ao decreto emitido pelo governo do estado que estabelece medidas sanitárias mais restritivas a serem respeitadas antes e durante o período das festas carnavalescas.

De acordo com o CRM-PI, o Centro de Operações Emergenciais (COE), da Secretaria de Estado da Saúde do Piauí (SESAPI), “alertou sobre a importância das medidas constantes no Decreto Estadual e reiterou a necessidade de maiores restrições nesse momento, diante do risco deum colapso na saúde em nosso Estado.

Segundo o CRM-PI, os gestores municipais parecem negligenciar a pandemia do coronavírus.

“Salta aos olhos que os gestores municipais parecem negligenciar sua responsabilidade com a saúde da população teresinense, enxergando o triste cenário da pandemia em nossa capital sob uma ótica míope e indiferente.O estado da pandemia é de emergência, o que exige de todas as autoridades ações efetivas e concretas para proteger a saúde pública”, explica.

O CRM-PI externa sua insatisfação com os gestores municipais e pede que a saúde seja tratada como prioridade.

“O CRM-PI cumpre sua função social e está preocupado com a saúde da população piauiense,externa sua insatisfação em relação ao decreto da Prefeiturade Teresina,ao tempo em que requer que os gestores tratem a saúde com absoluta prioridade, a fim de evitar que os teresinenses passem por igual sofrimento enfrentado pelos pacientes oriundos de Manaus-AM”, alerta.

Veja nota do CRM-PI

Orlando Dias
Da Redação

Banca de Jornal

Propaganda