Um ciclone extratropical no litoral do Rio Grande do Sul provocou chuva ininterrupta e diversos estragos desde a noite de quinta-feira (15) no estado, sobretudo na região leste —que abrange, além do litoral, parte da serra gaúcha, a região dos vales e a região metropolitana de Porto Alegre.

A Defesa Civil estadual confirmou nesta sexta-feira a mortes de três pessoas, duas em São Leopoldo e uma em Maquiné —o órgão chegou a divulgar quatro mortos, mas depois corrigiu a informação.

Em São Leopoldo, onde choveu mais de 255 milímetros nas últimas 24 horas, morreram um homem de 23 anos, vítima de uma descarga elétrica, e outro que teve o carro arrastado pela enxurrada. Há outros 11 desaparecidos: sete em Caraá, dois em Três Forquilhas e dois em Maquiné.

Na rodovia ERS-122, no vale do rio Caí, um acidente com um carro a serviço da Prefeitura de Riozinho matou os dois ocupantes na manhã de sexta-feira (16). O carro teria aquaplanado e se chocado contra um poste.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) manifestou por redes sociais solidariedade às vítimas. O governador Eduardo Leite (PSDB) publicou em seu perfil o vídeo de um telefonema entre ele e o presidente, que prometeu apoio aos governos estaduais de Rio Grande do Sul e Santa Catarina e às prefeituras. No final da tarde, Leite viajou ao litoral para acompanhar os trabalhos da Defesa Civil.

Já os ministros Waldez Góes (Desenvolvimento Regional), Wellington Dias (Desenvolvimento e Assistência Social) e Paulo Pimenta (Comunicação Social) irão ao Rio Grande do Sul.

A quantidade de chuva nas últimas 24 horas ultrapassou em quase duas vezes o previsto para o mês. Foi o caso de Maquiné, no litoral norte, onde choveu mais de 290 milímetros enquanto o esperado para o mês de junho é o acúmulo de 140 a 180 milímetros.

Porto Alegre, onde choveu mais de 155 milímetros, amanheceu com 20 pontos de bloqueios no trânsito por quedas de árvores. As cheias atingem também os vales dos rios Caí, Paranhana, Sinos e Taquari. Há registro de danos no extremo sul de Santa Catarina.

Da Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *