O presidente Jair Bolsonaro (PL) participou nesta 4ª feira (12.out.2022) de uma missa no Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, em Aparecida do Norte (SP). Ele estava acompanhado de Tarcísio de Freitas (Republicanos), seu candidato ao governo de São Paulo, e do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

O chefe do Executivo e candidato à reeleição foi a Aparecida depois de uma viagem a Belo Horizonte (MG). Na capital mineira, participou de culto evangélico conduzido pelo pastor Valdemiro Santiago, da Igreja Mundial do Poder de Deus.

Bolsonaro cumpriu apenas 1 dos 2 compromissos marcados em Aparecida do Norte. Assistiu à missa das 14h na igreja principal da cidade, mas cancelou sua ida à Basílica Velha, localizada a aproximadamente 700 metros de onde estava. Na igreja antiga, o presidente participaria da reza de um rosário em evento independente organizado por apoiadores.

A CNN Brasil transmitiu ao vivo o princípio de uma confusão entre bolsonaristas e uma equipe de televisão da TV Vanguarda, afiliada da TV Globo no Vale do Paraíba e região. Minutos depois, o comboio do presidente saiu da Basílica Nova em direção ao Aeroporto de Guaratinguetá (SP), cidade vizinha à Aparecida do Norte, sem passar pela Basílica Velha.

Na missa da tarde desta 4ª feira, Bolsonaro recebeu os cumprimentos do arcebispo de Aparecida, d. Orlando Brandes. O sacerdote defendeu na celebração da manhã o direito ao voto e incentivou os brasileiros a votarem no 2º turno das eleições, marcada para 30 de outubro.

“É necessário exercer esse direito e poder do povo, a exemplo de Maria e José em Belém, se alistando no recenseamento do próprio império. Mas quem vai vencer é Jesus”, disse sem citar nomes.

Segundo o Estado de S.Paulo, Brandes falou a jornalistas sobre as idas recorrentes de Bolsonaro a cultos evangélicos: “Eu não posso julgar as pessoas, mas nós precisamos ter uma identidade de religiosa. Ou somos evangélicos ou somos católicos. Então, nós precisamos ser fiéis à nossa identidade católica. Mas, seja qual for a intenção, [Bolsonaro] vai ser bem recebido, pois é o nosso presidente”.

Brandes ainda condenou o ódio, a mentira, o desemprego, a fome e a incredulidade. Referiu-se a esses problemas como “dragões”. “Nossa Senhora gloriosa no céu, depois da cruz e o céu, é a nossa pátria definitiva. Maria venceu o dragão. Temos muitos dragões que ela vai vencer. O dragão que é o tentador. O dragão que já foi vencido –a pandemia”, disse.

E continuou: “Mas temos o dragão do ódio, que faz tanto mal. E o dragão da mentira, e a mentira não é de Deus, é do maligno. E o dragão do desemprego, o dragão da fome. O dragão da incredulidade. Com Maria, vamos vencer o mal e vamos dar prioridade ao bem, à verdade e justiça que o povo merece porque tem fé e ama Nossa Senhora Aparecida”.

Na missa de 12 de outubro celebrada em 2021, Brandes disse que o Brasil, “para ser pátria amada, não pode ser pátria armada”. Ele também criticou a disseminação de fake news. “Para ser pátria amada não pode ser pátria armada. Para ser pátria armada seja uma pátria sem ódio. Para ser pátria amada, uma república sem mentira e sem fake news. Pátria amada sem corrupção. E pátria amada com fraternidade. Todos os irmãos construindo a grande família brasileira”, declarou o religioso.

Fonte: Poder360

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *