Conecte-se conosco

    Brasil

    Bolsonaro decide dar aumento linear de 5% a servidores

    Publicado

    em

    Bolsonaro decide dar aumento linear de 5% a servidores

    Em reunião nesta quarta-feira, o presidente Jair Bolsonaro pediu à equipe econômica para elaborar a proposta de um aumento linear de 5% para os servidores públicos federais, de acordo com fontes do governo.

    Com a proposta em mãos, Bolsonaro deve anunciar nos próximos dias a concessão do reajuste abaixo da inflação e linear, para todos os servidores. Técnicos do Executivo, porém, ressaltam que o presidente é imprevisível e sempre pode ordenar uma mudança de rumo de última hora.

    A decisão por um reajuste de 5% foi tomada numa reunião entre o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o próprio Bolsonaro no Palácio do Planalto. O governo quer anunciar o quanto antes a medida para aplacar os movimentos de servidores, que deflagraram greves e manifestações.

    À noite, ao deixar o Ministério da Economia, Paulo Guedes foi questionado se a notícia sobre o reajuste procede. Ele respondeu:

    — Parece proceder.
    O reajuste não será restrito aos servidores civis. De acordo com fontes do governo, os militares também receberão o aumento de 5%. Os militares tiveram reestruturação nas carreiras em 2019, gerando aumento em algumas patentes e ampliação de gratificações. Isso ficou ligado à reforma das regras de aposentadoria desse grupo.

    O impacto nas contas públicas dependerá da data da vigência do reajuste. Caso comece em julho, referente à folha de junho, o custo extra seria de R$ 6,3 bilhões neste ano.

    O governo já colocou nessa conta um possível reajuste para servidores de outros poderes (Legislativo e Judiciário), porque sabe que eles não assistirão um aumento apenas para o Executivo.

    O Executivo tinha reservado apenas R$ 1,7 bilhão para o reajuste. Por isso, será necessário cortar dinheiro de outras áreas para compensar o novo gasto. As despesas federais são limitadas pelo teto de gastos. Isso será feito, segundo fontes do governo, nas chamadas despesas discricionárias do governo federal (que podem ser cortadas).
    Fonte: globo.com

    Propaganda
    Clique para comentar

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Propaganda

    Banca de Jornal

    Propaganda

    Popular