Conecte-se conosco

Política

BNDES financia segunda usina termelétrica no Rio de Janeiro

Publicado

em

[ad_1]

O Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou hoje (14) a aprovação de financiamento de R$ 3,93 bilhões à GNA Geração de Energia S.A. para a implantação de uma segunda usina termelétrica no Porto do Açu, no município de São João da Barra, região norte do estado do Rio de Janeiro.BNDES financia segunda usina termelétrica no Rio de Janeiro

A termelétrica UTE GNA II terá quatro conjuntos geradores, sendo três movidos a gás natural e um a vapor, e capacidade instalada total de 1.673 megawatts (MW), energia suficiente para o abastecimento de 7,8 milhões de residências. Durante a construção, serão gerados em torno de 5 mil empregos. Outros 500 postos de trabalho deverão ser gerados quando a usina entrar em operação.

O projeto faz parte do parque termelétrico a gás natural que a GNA está construindo no Porto do Açu. A primeira usina, UTE GNA I, de 1.338 MW de capacidade instalada, também teve apoio financeiro do BNDES. A usina está em fase final de construção e entrará em operação comercial no primeiro semestre deste ano. Suas instalações de recebimento, processamento e transporte de gás natural líquido (GNL) serão compartilhadas com a UTE GNA II.

O GNL adquirido será armazenado em uma unidade flutuante FSRU (do nome em inglês ‘Floating Storage Regasification Unit’) que ficará permanentemente atracada. O GNL será convertido em estado gasoso por um terminal de regaseificação, para ser enviado para as duas usinas por um sistema de dutos, informou o BNDES, por meio de sua assessoria de imprensa.

Parque termelétrico

A GNA-Gás Natural Açu é uma joint venture (empreendimento conjunto) formada pela Prumo Logística, a BP e a Siemens, que se dedica ao desenvolvimento, implantação e operação de projetos estruturantes e sustentáveis de energia e gás. A empresa constrói no Porto do Açu o maior parque termelétrico a gás natural da América Latina.

O projeto compreende a implantação de duas térmicas movidas a gás natural (GNA I e GNA II) que, juntas, somarão 3 gigawatts (GW) de capacidade instalada. As duas térmicas vão gerar energia suficiente para atender cerca de 14 milhões de residências. O projeto envolve ainda um Terminal de Regaseificação de GNL (Gás Natural Liquefeito) de 21 milhões de metros cúbicos/dia. O investimento total no projeto alcança cerca de R$ 10 bilhões.

[ad_2]

Fonte: Agência Brasil

Banca de Jornal

Propaganda