​O quadro oposicionista não retornará ao Poder Executivo estadual nem sequer tão cedo: Pois, com a eleição vitoriosa de Rafael Fonteles ao governo estadual, fortificou-se e consolidou-se o governismo, o qual impossibilitará uma vitória das oposições pelos próximos oito anos, porquanto a reeleição de Rafael é um fato político certo para 2026 e também para o seu sucessor em 2030. Nenhum candidato oposicionista arrebatará uma eleição liderada pelo atual Chefe do Poder Executivo do Piauí. Qualquer postulante será derrotado pelo situacionismo de Rafael.

​A eleição majoritária de Rafael para o Governo do Piauí foi inédita. Justamente porque nunca foi candidato a nenhum cargo eletivo. Não tinha militância política proeminente. E saiu da Secretaria de Fazenda à candidatura e eleição de Governador apenas com a forte vantagem de ser filiado ao PT, por vários anos, mas sem uma proeminência dentro da agremiação petista. E tudo corria contra a sua candidatura. Inclusive a eventual possibilidade de Regina Sousa, Vice-Governadora, ser postulante ao cargo.

​Entretanto, havia um forte comando de poder a seu favor: a eleição para presidente da CONSEFAZ – Conselho Nacional dos Secretários da Fazenda – cujo cargo lhe projetou no Brasil e na estrutura político-administrativa de Brasília, com discursões sobre direito tributário e a montagem da Reforma Tributária, as quais lhe deram visibilidade e capilaridade porquanto discutia com os ministros, governadores, deputados, empresários, senadores a aprovação da Reforma Tributária e matéria pertinente ao Direito Tributário.

​Ademais, o seu espetacular e extraordinário desempenho como Secretário de Fazenda onde exerceu um trabalho de reforma profunda das metas e normas da Secretaria legando aos empresários um trabalho de louvor sem motivar divergências entre servidores também. Teve um trabalho extremamente produtivos e reconhecido para todos porque harmonizou normas e interesses sem prejudicar as regras estabelecidas pelo Estado.

​Ademais, o apoio irrestrito de Wellington Dias (PT), Regina Sousa e o líder Lula (PT) e de todos os partidos coligados, com os quais conversou e dialogou respeitando os divergentes e convergentes, saindo vitorioso.

​Rafael é um ilustre professor de matemática premiado no Brasil e no exterior. Professor da universidade Federal do Piauí e Sócio Majoritário do CEV – o melhor colégio do Piauí e um dos melhores do Brasil. É um empresário produtivo e inovador.

​Foi no CEV que Rafael teve a oportunidade única de mostrar às pessoas; e, especialmente, ao Estado, à sociedade, a sua capacidade de empreendedor; pois o CEV foi agigantando-se com Rafael à frente de suas principais metas e projetos que eram de se expandir e ser a melhor entidade de ensino do Piauí.

​Diante desse cenário, com Rafael na liderança estadual, e com o plano de governo que construiu, dificilmente haverá oposicionista para lhe impor uma derrota na reeleição em 26 e na preparação para o seu substituto eventual em 2030.

​Portanto, esta coligação “Time do Povo” seguirá dirigindo o Estado do Piauí por alguns anos, porquanto Rafael fará uma gestão intocável e transformadora, e que será um exemplo para o Brasil, além de tornar-se um líder regional e respeitado. Inclusive fazendo o PT rever suas noções sobre política e gestão, com renovação radical do petismo no Estado, abrandando o seu ideologismo fisiológico e preconceituoso relativamente às pessoas e aos demais políticos; O PT deixará de ser puramente estatizante para ser liberal na economia, inclusive com o Agronegócio.

MAGNO PIRES é Vice-presidente da Academia Piauiense de Letras-APL, Diretor-geral do Instituto de Águas e Esgotos do Piauí – IAE-PI, Ex-Secretário de Administração do Piauí e ex-presidente da Fundação CEPRO, advogado da União (aposentado), professor, jornalista e ex-advogado da Cia. Antáctica Paulista (hoje AMBEV) por 32 anos consecutivos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *