Um adolescente, de 14 anos de idade, atacou e feriu com uma faca ao menos três professores e um aluno na Escola Estadual Thomazia Montoro, localizada na rua Doutor Adolfo Melo Júnior, na Vila Sônia, zona oeste de São Paulo, na manhã desta segunda-feira (27). O ataque ocorreu por volta das 7h30, quando as aulas já tinham começado.

De acordo com informações da PM (Polícia Militar), um dos professores sofreu uma parada cardiorrespiratória. Conforme o boletim médico, os profissionais da saúde conseguiram reverter o quadro, e a professora não corre mais risco de morte.

Os outros dois docentes foram socorridos a hospitais, mas o estado de saúde deles não foi confirmado — um está no Hospital das Clínicas, na zona oeste. O aluno, que era inicialmente o alvo do agressor, foi atingido, mas sofreu um corte superficial conforme os agentes de segurança. O estado de saúde dele também não foi informado.

O responsável pelas facadas foi identificado e contido, mas ainda permanece na escola com a polícia. A corporação acredita que a motivação dos ataques tenha sido bullying — o autor do ataque teria feito postagens nas redes sociais.

A direção da unidade informou que os alunos serão liberados gradativamente. Pais e familiares estão em frente à unidade escolar, desesperados e preocupados com os seus filhos. Imagens feitas pela equipe da Record TV, que está no local, mostram os responsáveis chorando. Viaturas da polícia e do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) estão no local.


A polícia fez uma varredura em todas as salas de aula e banheiros para encontrar crianças que possivelmente teriam sido machucadas. As aulas nesta segunda foram canceladas.

Professores heróis
Os três professores feridos tentaram segurar o autor do ataque, já que ele queria matar um colega do colégio. Foi nesse momento em que se tornaram alvos do rapaz.

Uma aluna explicou que a briga entre os dois estudantes envolvidos começou na semana passada e, hoje, o adolescente teria levado uma faca para se vingar. A menina informou, ainda, que uma das professoras esfaqueadas “era de idade”. “A gente não sabe se ela vai ficar bem ou não”, revelou à Record TV.

A polícia trabalha com a hipótese de que o adolescente teria planejado o ataque após essa briga com o colega.

Com medo de o atentado se espalhar pelo colégio, outros professores, que viram a cena, começaram a gritar para alertar as demais turmas para trancar as portas das salas de aula.

Fonte: R7.com
Foto: Reprodução

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *