Conecte-se conosco

Esporte

Abel vê Palmeiras mais maduro para final da Copa do Brasil

Publicado

em

Abel vê Palmeiras mais maduro para final da Copa do Brasil

Abel Ferreira busca neste domingo (7) conquistar o segundo título de sua carreira como técnico e o segundo pelo Palmeiras. Vencedor da Copa Libertadores com o Verdão há mais de um mês, o técnico português vê a equipe mais madura para o confronto com o Grêmio, pela decisão da Copa do Brasil, no Allianz Parque. Na ida, o Palmeiras venceu por 1 a 0.

“Temos a vantagem, porque foi esta nossa intenção. Era sacar de lá um bom resultado. Já aconteceu em jogos na Libertadores e na Copa. Temos a experiência de termos ganho um Paulistão e uma Libertadores. Aprendemos no Mundial. Usamos toda a experiência a nosso favor, para amanhã quando começar o jogo conseguirmos levantar mais um troféu”, afirmou.

Durante as conversas na Academia de Futebol, alguns percalços vividos em mata-matas recentes foram lembrados, como a eliminação para o próprio Grêmio na Copa Libertadores de 2019, e a sofrida classificação diante do River Plate (ARG), na edição em que foi campeão. Abel, porém, prefere pensar mais nas eliminatórias em que se deu melhor.

“Eu prefiro olhar o que fizemos contra o Libertad, que tivemos um bom resultado fora [empate] e finalizamos em casa. É preciso estar muito focado para estar constantemente em uma decisão. Temos de usar esta imagem na cabeça para perceber que o segredo do futebol é muito simples. Para quem joga e é profissional só preparamos o futuro no presente e o passado é museu. Temos de desde o início ter a cabeça em paz para com a bola ter a calma necessária para atacar nos lugares certos. E quando não, sermos altamente competitivos”, explicou.

“Nossas intenções não mudam. Queremos competir sempre para vencer. No Brasileirão tivemos equipes melhores que nós. Ganhamos o Paulistão, disputamos o Mundial com quatro grandes equipes e não tivemos a capacidade de ganhar. Na Libertadores é preciso sofrer. Não fomos os únicos que sofreram para ganhar a Libertadores. A mesma coisa na Copa [do Brasil]. Tivemos que eliminar adversários como o América-MG, que tirou grandes equipes da primeira liga, em que muita gente sub-valorizou o adversário. Hoje em dia não há jogos fáceis, seja contra quem for. Temos uma responsabilidade individual e coletiva. Seja contra quem for, temos de jogar para vencer”, completou.

fonte: Folhapress

Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Banca de Jornal

Propaganda