Conecte-se conosco

Cotidiano

Poeta americana Louise Glück leva prêmio Nobel de Literatura

Publicado

em

A Academia Sueca anunciou que poeta americana Louise Glück foi a vencedora do prêmio Nobel de literatura deste ano, numa escolha surpreendente de um nome pouco cotado nas apostas para o troféu.

A escritora de 77 anos, professora da Universidade Yale, nos Estados Unidos, já venceu prêmios importantes em seu país, como o Pulitzer, o National Book Award e a Medalha Nacional de Humanidades.

O comitê do Nobel apontou que Glück levou o prêmio por sua “voz poética inconfundível que, com beleza austera, torna universal a existência individual”.

Não há livros de Glück disponíveis no Brasil em tradução para o português.

A escolha parece sinalizar uma pacificação após os anos mais tumultuados da história da premiação.

Em 2017, um escândalo sexual fez tremerem as bases do comitê do Nobel e cancelou a entrega do prêmio no ano seguinte —foi a primeira vez que isso aconteceu por um motivo que não fosse uma guerra.

O pivô foi o fotógrafo Jean-Claude Arnault, condenado à prisão pelo crime de estupro após 18 mulheres o acusarem numa reportagem do jornal sueco Dagens Nyheter. Ele administrava com a esposa, a poeta Katarina Frostenson, membro da Academia Sueca, uma fundação cultural que recebia dinheiro da própria instituição.

O mesmo jornal fez a denúncia de que Arnault vazara informações sobre o vencedor do Nobel de literatura sete vezes em 20 anos. Vários integrantes da Academia se desligaram da instituição após a crise, incluindo Frostenson, levando à suspensão do prêmio por um ano.

Na cerimônia do ano passado, já com a adição de novos membros, o Nobel fez uma escolha que soou como provocação aos críticos.

Junto com Olga Tokarczuk, autora polonesa a quem foi concedido o troféu atrasado de 2018, anunciaram o nome de Peter Handke, escritor austríaco acusado de racismo e com notório posicionamento de negação do genocídio na Bósnia.

A Academia Sueca, fundada há 232 anos pelo rei da Suécia para proteger o idioma nacional, seleciona o vencedor do Nobel de literatura desde 1901. Outras instituições escandinavas selecionam os outros prêmios Nobel.

Dos 117 escritores escolhidos até hoje, apenas 16 foram mulheres, incluindo Glück. A única negra a vencer foi a americana Toni Morrison, morta no ano passado. O único homem negro premiado foi o nigeriano Wole Soyinka, em 1986.

O eurocentrismo também sempre marcou o Nobel de literatura e perdura ainda hoje. A maioria dos premiados da última década veio do continente europeu.

A França lidera a lista de nacionalidades, com 11 premiados, seguida pelos Estados Unidos, com dez. O último deles havia sido Bob Dylan, outra das mais polêmicas escolhas do comitê sueco —já que o cantor e compositor é mais conhecido por suas músicas que pela autoria de livros.

Fonte: Folhapress
Foto: Robin Marchant

Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cotidiano

APL pede tombamento do prédio do Meduna

Publicado

em

A Academia Piauiense de Letras (APL) solicitou ao prefeito de Teresina, José Pessoa Leal (Dr. Pessoa), o tombamento do prédio que abrigou o Hospital Meduna, no bairro Cabral, zona Norte da capital.

A solicitação foi motivada pelo recente noticiário dando conta de que o imóvel seria demolido. O assunto foi discutido em três sessões da Academia. A posição da APL foi aprovada por unanimidade.

No ofício encaminhado ao prefeito, com data de 1º deste mês, o presidente da APL, Zózimo Tavares, destaca que o remanescente da antiga edificação do Meduna, inaugurada em 1954, é dotada de valor histórico, merecendo proteção.

“Não há dúvidas de que o Sanatório Meduna, pelo seu passado, desperta o interesse público, por se tratar de instituição que prestou serviços relevantes à comunidade local por mais de mais 50 anos, constituindo, de tal modo, parte da história de Teresina”, assinala.

A previsão de tombamento dos bens representativos do patrimônio cultural, artístico e arquitetônico, do Município de Teresina, é matéria disciplinada na Lei de Tombamento (n.º 3.602 de 27.12.2006).

Com informações da APL

Continue lendo

Cotidiano

Com recorde de rejeição, Karol Conká é eliminada do BBB21

Publicado

em

Quem saiu do BBB21 nesta terça (23) foi Karol Conká. A participante disputou o Paredão ao lado de Arthur e Gilberto e saiu da casa, com 99,17% dos votos, recorde de rejeição do programa.

Os brothers permanecem no jogo. O instrutor de crossfit recebeu 0,54% dos votos, e Gilberto, 0,29%.

Karol recebeu o carinho dos outros participantes. Pocah e Projota se emocionaram muito. “Vou ficar com saudades”, disse a cantora para o amigo cantor.

“Jorge, mamãe está chegando”, disse Karol ao mandar um recado para o filho.

Os confinados cantaram a música mais famosa da cantora, “Tombei”, antes de ela sair pela porta da casa mais vigiada.

Fonte: globo.com

Continue lendo

Cotidiano

Jovem se afoga em pescaria com amigos no açude Joana em Pedro II

Corpo de Bombeiros foi chamado e ainda não localizou o corpo do adolescente de 16 anos. | www.capitalteresina.com.br |

Publicado

em

Continue lendo

Popular