Conecte-se conosco

Política

Organizadores decidem cancelar ato pró-Bolsonaro com avanço do coronavírus

Publicado

em

Um dos principais organizadores da manifestação que estava prevista para domingo (15) em apoio ao presidente Jair Bolsonaro, o movimento Nas Ruas anunciou o adiamento do ato, em razão do agravamento da crise do coronavírus.

“O momento agora é de união e responsabilidade”, disse em nota Marcos Bellizia, um dos coordenadores do grupo. Não há nova previsão de data.

O ato tinha como objetivos apoiar o governo de Bolsonaro e pressionar o Congresso e o Supremo a aprovar reformas econômicas.

“Pedimos que Congresso, governo e Supremo trabalhem juntos para a aprovação das reformas da forma mais rápida possível. Isso irá beneficiar 100% dos brasileiros”, afirmou Bellizia.

Outro movimento, o São Paulo Conservador, também anunciou o adiamento dos atos.

Até o início da semana, a possibilidade de cancelar o evento era descartada. O fato de o coronavírus ser considerado agora uma pandemia pela OMS (Organização Mundial da Saúde) alterou o quadro.

Antes do agravamento da crise, os movimentos obtiveram aval do Ministério da Saúde para realização dos atos. A consulta à pasta foi feita pela deputada Carla Zambelli (PSL-SP), uma das entusiastas das manifestações.

“Não somos irresponsáveis”, diz Edson Salomão, presidente do Movimento Conservador, ao afirmar que a orientação de manter a manifestação estava sendo reavaliada conforme a evolução da doença. “Estamos aguardando uma recomendação das autoridades competentes para tomar alguma decisão.”

Em coletiva de imprensa nesta quinta, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), não recomendou o cancelamento de eventos.

“Não há nenhuma recomendação do governo do estado de São Paulo para cancelamento de eventos públicos de nenhum tipo, apenas a orientação para que pessoas com mais de 50 anos evitem aglomerações”, disse ele.

As decisões, afirmou Doria, são sanitaristas e não têm “qualquer cunho político”. O governador se aliou ao bolsonarismo ao ser eleito em 2018, mas rompeu com Bolsonaro e pretende concorrer à Presidência em 2022.

Mais cedo, o adiamento foi mencionado por deputados federais que apoiam Bolsonaro. “Os movimentos são pessoas sérias e não querem comprometer a saúde de quem está se mobilizando. O adiamento é razoável, a saúde pública vem em primeiro lugar”, disse Luiz Philippe de Orleans e Bragança (PSL-SP).

A deputada Bia Kicis (PSL-DF) afirmou que Bolsonaro pediria o adiamento das manifestações. “Ele tem ouvido apoiadores e organizadores e tem ponderado sobre a importância de preservar a população mais vulnerável, os idosos, sempre presentes”, afirmou.

Bolsonaro fará um pronunciamento na noite desta quinta em cadeia nacional de televisão e rádio. Segundo assessores presidenciais, ele deve pedir à população que não participe dos protestos.

Para os políticos, a sinalização de Bolsonaro pelo cancelamento é necessária para que os movimentos que organizam os protestos não sejam vistos como traidores ou para que as pessoas não insistam em ir às ruas mesmo após um eventual cancelamento.

Os movimentos de esquerda que organizam os protestos do dia 18, em oposição a Bolsonaro, também estão avaliando a viabilidade dos atos conforme o avanço do coronavírus nos próximos dias.

Uma reunião com os movimentos e as centrais sindicais foi marcada para segunda-feira (16) para debater o tema e, por enquanto, o protesto está mantido.

“Vamos esperar a evolução para tomar qualquer definição. A princípio, a manifestação está mantida”, afirmou Guilherme Boulos, líder do MTST e da Frente Povo Sem Medo.

Nesta quinta, representantes das centrais sindicais se reuniram para tratar do assunto. Em nota, os sindicatos cobraram “medidas específicas para os trabalhadores e trabalhadoras da saúde, educação e transporte público que estão mais expostos ao contágio”, mas não cancelaram os atos. A definição ficou para segunda-feira.

Antes do encontro, a CUT pleiteava a manutenção do ato, enquanto a UGT falava em cancelamento. “Nossa preocupação é que os trabalhadores e trabalhadoras são os mais vulneráveis por não terem assistência médica, diferente da classe média, que está coberta”, afirma Ricardo Patah, da UGT.

Nas redes sociais, o presidente da UNE (União Nacional dos Estudantes), Iago Montalvão, disse estar em discussão interna a respeito das mobilizações.

“Eu, particularmente, acredito que não podemos ficar a reboque das mobilizações do dia 15 que Bolsonaro provavelmente vai desmobilizar. Temos que mostrar responsabilidade com a saúde do nosso povo”, afirmou.

Fonte: Folhapress
Foto: Nelson Almeida/AFP

Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Wellington Dias propõe parcerias em defesa do clima ao presidente dos EUA

Publicado

em

O governador do Piauí e presidente do Consórcio Nordeste, Wellington Dias, e outros governadores do Brasil encaminharam uma carta ao presidente dos Estados Unidos, Joe Biden. Na carta os governadores manifestam compromisso para trabalhar em sintonia com o Acordo de Paris e em favor das questões ambientais.

“São governadores de diferentes partidos que apontam uma necessidade de termos uma posição clara em ralação à nossa responsabilidade com a vida, com a biodiversidade e, inclusive, para evitar novas pandemias. Queremos a garantia de proteção das florestas nativas e do cumprimento do Código Florestal”, disse o governador Wellington Dias.

O governador Wellington Dias defende o aumento da produtividade ao invés de mais desmatamento, o cuidado com populações indígenas. Ele fala ainda sobre a necessidade da criação de alternativas de renda que não seja o desmatamento. “Nosso compromisso é com o momento atual e também com as futuras gerações”, disse.

Na carta, os governadores manifestam interesse no desenvolvimento de parcerias, com o objetivo de impulsionar a regeneração ambiental, o equilíbrio climático, a redução de desigualdades, o desenvolvimento de cadeias econômicas verdes nas Américas e a criação de um novo modelo civilizatório saudável e resiliente a pandemias.

No documento, há a defesa de uma coalização dos Governadores Pelo Clima, uma união ampla, envolvendo progressistas, moderados e conservadores, de situação e de oposição, dos mais diversos partidos que desejam uma construção colaborativa de soluções em defesa da humanidade e de todas as espécies de vida.

Com a decisão de Joe Biden de fortalecer a agenda ambiental internacional e o Acordo de Paris, os governadores do Brasil manifestam a intenção de implementar ações conjuntas, propondo a cooperação entre os Estados Unidos e os governos estaduais brasileiros, responsáveis pela maior parte da Floresta Amazônica.

Fonte: CCOM

Continue lendo

Política

Wellington Dias espera que uso da vacina Sputinik seja aprovado até sexta-feira

Publicado

em

O governador do Piauí e presidente do Consórcio Nordeste, Wellington Dias, disse, nesta segunda-feira (12), que há expectativa de ter uma decisão da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) sobre a importação da vacina Sputinik até a próxima sexta-feira (16). O imunizante foi comprado pelos estados nordestinos em parceria com o Ministério da Saúde. “O próprio Ministério da Saúde também fez uma compra de doses dessa vacina”, afirmou.

Segundo o governador, a Sputinik tem boa eficácia na imunização, é usada por 58 países. “Queremos essa decisão com base na Lei 124 de 2021, em que o Congresso Nacional determina que vacina já aprovada por agência reguladora de outro país possa ser utilizada em nosso país”, explica Wellington.

Para ele, o Brasil precisa de vacinas. “Esperamos a decisão da Anvisa em primeiro lugar e, em caso de não aprovação, iremos recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF)”, afirmou Wellington Dias.

Fonte: CCOM

Continue lendo

Política

Dr. Pessoa entrega praça e complexo esportivo na zona Norte

Publicado

em

Dando continuidade ao cronograma de entrega de obras dos 100 dias da nova gestão, o prefeito de Teresina doutor Pessoa inaugura na manhã desta terça-feira (13), obras na zona norte da capital.

Entre os empreendimentos a serem entregues está a praça do residencial Inglaterra. O local contou com R$ 309.438,27 (trezentos e nove mil quatrocentos e trinta e oito reais e vinte e sete centavos) em investimentos com recursos próprios da prefeitura.
Também será inaugurada a reforma do campo de futebol do bairro Nova Brasília, na zona Norte da cidade. Com um investimento de R$ 91.372,66 (noventa e um mil, trezentos e setenta e dois reais e sessenta e seis centavos), a obra será uma opção de lazer no local, além de fomentar o esporte na região.

O prefeito finalizará a agenda da manhã visitando a revitalização das alças da ponte primavera e estaiada que sofreu a ação de grafiteiros. A ação visa preservação do bem público.

Da Redação

Continue lendo

Popular