Conecte-se conosco

Cidades

COE diz que momento da pandemia é delicado e defende aplicação do decreto

Publicado

em

O Centro de Operações Emergenciais (COE), da Secretaria de Estado da Saúde do Piauí, após completar um ano de atuação, divulgou neste sábado (30) relatório sobre o acompanhamento  da pandemia do Piauí e  informa que  são necessários alguns esclarecimentos à sociedade a respeito das razões que fundamentaram o decreto estadual Nº 19.455/2021.

Conforme o COE, desde o início da retomada das atividades econômicas em nosso estado,em julho de 2020,que foi feita de forma segmentar e gradativa, sempre existiu o alerta e a possibilidade de retroceder no processo de reabertura, a depender dos números da doença.

“Fomos um dos únicos estados brasileiros que não retrocedeu até o momento, flexibilizando cada vez mais, até o auge do processo, que está sendo a retomada das atividades educacionais presenciais. No entanto, desde o início de janeiro de 2021 observa-se uma diminuição progressiva da porcentagem dos leitos livres de UTI COVID no Piauí, sobretudo na capital”

Conforme o COE, o momento atual da pandemia no Piauí é delicado, por uma conjunção de fatores: aumento dos casos de COVID-19 em decorrência das aglomerações ocorridas nas festas de final de ano, elevação da taxa de ocupação dos leitos de UTI, aumento da demanda nacional por equipamentos, medicamentos e insumos hospitalares, retorno das atividades escolares presenciais com maior circulação de pessoas, presença de novas variantes genéticas do vírus SARS-CoV-2 no território brasileiro com maior poder de disseminação e véspera de uma festa popular com grande apelo em todo o país, o carnaval.

“Por tudo isso, é dever do COE alertar sobre a importância das medidas constantes do Decreto nº 19.455/2021. A normatização nele contida promove ações que contribuem decisivamente para evitar risco de colapso da rede pública de saúde”, destaca.

Orlando Dias
Da Redação

Cidades

Polícia Civil cumpre mandados de buscas contra motoristas de ônibus

Publicado

em

A Polícia Civil do Piauí, por meio do Grupo de Repressão ao Crime Organizado – Greco, deu cumprimento nesta sexta-feira (5) a três mandados de busca e apreensão nos bairros Nova Brasília, Centro e Angelim, no sentido de apurar informações que indicavam planos para danificar e queimar ônibus em Teresina. 

De acordo a Polícia Civil, os endereços alvos das buscas são de motoristas das empresas de ônibus da capital, cujas informações indicavam planejamento com o intuito de danificar e queimar ônibus da rede de transporte coletivo. Os três motoristas foram inquiridos e suas declarações reduzidas a termo.

Conforme a Polícia Civil, as diligências permitiram avançar nas investigações e identificar pessoas que quebraram vidros de ônibus nos últimos dias. O procedimento policial aberto no Grupo de Repressão ao Crime Organizado da Polícia Civil  apura crimes de dano, incêndio, arremessar objeto contra veículo de transporte público e associação criminosa.

Com informações da Ascom

Continue lendo

Cidades

Campelo Filho debate vacinação de crianças contra Covid-19

Publicado

em

O advogado Campelo Filho, doutor em Direito e Políticas Públicas, concedeu nesta semana uma entrevista para a Rádio Justiça, quando abordou sobre a a legislação vigente em relação à vacinação contra Covid-19, especificamente para crianças.

De acordo com Campelo Filho, crianças e adolescentes não possuem autonomia, por isso pais não devem impor suas crenças, filosóficas ou ideológicas, em detrimento da saúde dos menores.

Campelo Filho também destacou que a vacinação contra covid-19 traz benefícios coletivos, quando ressaltou a afirmação ministro Luís Roberto Barroso, do STF, em dezembro.

“Essa deve ser a perspectiva comum: a vacinação é um bem para todos”, explica.

Confira a entrevista em: https://www.instagram.com/p/CMAwevcDB-r/

Da Redação

Continue lendo

Cidades

Covid-19: Campo Maior tem 95% dos leitos ocupados

Publicado

em

O Hospital Regional de Campo Maior (HRCM) emitiu comunicado nesta quinta-feira (4) informando que 95% dos leitos de estabilização de pacientes vítimas de Covid-19 encontram-se ocupados. Com isso, 19 de um total de 20 leitos estão ocupados neste momento.

“Atenção, população de Campo Maior. Com o aumento significativo do número de casos e internações, 95% dos leitos seguem ocupados. Estamos no auge da pandemia e precisamos muito da sua ajuda e atenção para conter o vírus em nossa região”, diz a postagem.

No último boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Campo Maior já registrou um total de 3436 casos confirmados e 66 óbitos.

Da Redação

Continue lendo

Popular