Conecte-se conosco

Política

Wellington Dias defende medidas restritivas para todo país

Publicado

em

O governador do Piauí e presidente do Consórcio Nordeste, Wellington Dias, está dialogando com outros estados para que medidas mais duras sejam tomadas a fim de conter a transmissibilidade da Covid-19. O gestor sugere que mais estados do país adotem medidas para os próximos dias. O Governo do Piauí publicou um novo decreto (n⁰ 19.445, de 26 de janeiro de 2021) com o objetivo de controlar a transmissibilidade da Covid-19 no estado e as determinações vão até dia 21 de fevereiro, elas incluem a proibição de festas de carnaval.

“Defendo que essas ações restritivas sejam realizadas no Brasil inteiro. Aqui no Piauí, achamos por bem adotar medidas mais duras porque vimos um crescimento acelerado dos números e de ocupação dos leitos nos hospitais. No Nordeste, já são sete estados que estão se posicionando para evitar um possível colapso na rede de saúde. O objetivo é agir preventivamente e cortar a transmissibilidade para diminuir a pressão sobre a rede hospitalar enquanto buscamos mais vacinas”, disse o governador.

Pelo menos 14 estados brasileiros, segundo o governador, já aderiram à iniciativa. “Conversei com alguns governadores e muitos estão alinhados em fazer a dosagem de restrições adequada à sua realidade. A ideia é quebrar a transmissibilidade para que um estado ou outro não extrapole e depois entre em colapso. São medidas que afetam o social, o econômico e não é justo apenas um ou dois estados cumprirem e outros não”, defendeu.

O governador anunciou que o Fórum dos Governadores está focado em executar o cronograma para a entrega de três milhões de doses de vacinas do Instituto Butantan que está previsto para chegar no dia 3 de fevereiro. “O próximo passo é o contrato firme para o Instituto Butantan e o Ministério da Saúde. Se a compra não for possível pelo ministério, faremos direto pelos estados”, disse.

Fonte: CCOM

Banca de Jornal

Propaganda