Conecte-se conosco

Internacional

Trump deve passar os próximos dias em hospital militar, diz Casa Branca

Publicado

em

A Casa Branca diz que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, está bem, que ele não precisa receber oxigênio suplementar e que deve passar os próximos dias trabalhando em um hospital militar nos arredores de Washington. O presidente, que disputa a reeleição, contraiu a covid-19. Como terapia, ele tem sido tratado com o antiviral Remdesivir, segundo informações da Casa Branca.

“Tenho o prazer de informar esta noite que o presidente está muito bem. Ele não está precisando de oxigênio suplementar, mas, em consulta com especialistas, decidimos iniciar a terapia com Remdesivir. Ele completou sua primeira dose e está descansando confortavelmente”, diz comunicado do médico da Casa Branca, Sean Conley.

Já a a secretária de imprensa da presidência, Kayleigh McEnany, disse que, “por recomendação médica e de especialistas, o presidente trabalhará dos escritórios presidenciais [do hospital] Walter Reed pelos próximos dias”.

“Por muita cautela e por recomendação de seu médico e especialistas médicos, o presidente trabalhará nos escritórios presidenciais de Walter Reed pelos próximos dias”, disse McEnany. “O presidente Trump agradece a demonstração de apoio tanto a ele quanto à primeira-dama.”

A notícia abalou a corrida pela Casa Branca, a um mês das eleições presidenciais de 3 de novembro.

O candidato democrata à presidência, Joe Biden, que lidera as pesquisas de intenção de voto a nível nacional, testou negativo para coronavírus três dias depois do primeiro debate com Trump e pediu para que a população leve a sério a doença e “use máscara”.

Trump, de 74 anos, e Biden, de 77, são considerados do grupo de risco diante da covid-19, responsável por mais de 207.000 mortes e 7,2 milhões de contaminações nos Estados Unidos, país mais atingido do mundo pela pandemia.

A Casa Branca garantiu que o 45º presidente dos Estados Unidos segue exercendo o cargo, mas passará os próximos dias em um hospital militar, onde está desde ontem.

O médico da Casa Branca informou que Trump, que está “cansado” e de “bom humor”. Antes de embarcar em um helicóptero com destino ao hospital, Trump afirmou se sentir bem, em breve mensagem de vídeo publicado em sua conta no Twitter.

“Quero agradecer a todos pelo tremendo apoio”, disse Trump em seu primeiro comentário público desde que anunciou ter contraído a covid-19, na madrugada de quinta para sexta-feira.

“Vou ao hospital Walter Reed. Acho que estou muito bem. Mas vamos nos assegurar de que tudo correrá bem”, explicou, afirmando que a esposa Melania, também contaminada, está “muito bem”.

O chefe do gabinete de Trump, Mark Meadows, havia dito mais cedo que o presidente apresentava “sintomas leves”, mas tinha “muita energia”.

O vice-presidente Mike Pence, próximo no comando, testou negativo para a doença, assim como o chefe da diplomacia Mike Pompeo e o secretário do Tesouro Steven Mnuchin.

O diagnóstico de Trump, que foi testado após a assistente presidencial Hope Hicks ser contaminada, foi anunciado pelo próprio presidente via Twitter na madrugada de quinta para sexta-feira. No tuíte, no qual afirmou que iniciaria uma quarentena “imediatamente” ao lado da esposa Melania, rapidamente quebrou recordes de ‘likes’.

A contaminação de Trump gerou nervosismo entre os investidores dos mercados financeiros no mundo e Wall Street fechou em baixa.

Fonte: Folhapress
Foto: Brendan Smialowski/AFP

Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Internacional

Em evento conservador, Trump se lança candidato para 2024

Publicado

em

Neste domingo (28), o ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump, fez seu primeiro discurso, quase quatro meses após deixar Casa Branca. No Conservative Political Action Conference (CPAC), a conferência anual dos conservadores americanos, em Orlando, o republicano criticou a política de imigração de Joe Biden, diz que o democrata fez o pior primeiro mês de governo da história dos Estados Unidos e lançou-se candidato para a sucessão presidencial de 2024.

Após dizer que Biden está permitindo a entrada de criminosos e de “portadores do vírus chinês” pelas fronteiras americanas, Trump disse que “essa poderia ser a razão suficiente para os democratas perderem a Casa Branca daqui a quatro anos”, e prosseguiu: “Na verdade, sabemos que eles perderam a Casa Branca ano passado, mas, quem sabe, eu decida ganhar deles pela terceira vez”.

Fonte: Folhapress

Continue lendo

Internacional

Gana é primeiro país a receber vacinas financiadas pelo sistema Covax

Publicado

em

Gana deve receber hoje o primeiro lote de vacinas contra o SARS CoV-2, em nível mundial, financiado pelo Covax, organismo liderado pela Organização Mundial da Saúde e que visa a fornecer imunizantes aos países mais desfavorecidos. 

O anúncio foi feito em comunicado conjunto pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).  

“Gana deve receber 600 mil doses da vacina AstraZeneca/Oxford, fabricada pelo Instituto Serum, da Índia. Essas vacinas foram expedidas pelo Unicef, de Mumbai para Acra, e fazem parte do primeiro lote de imunizantes contra o covid-19 destinados a vários países” mais desfavorecidos, diz o comunicado. 

“Essa entrega representa o início do que se espera vir a ser o maior fornecimento e distribuição de vacinas da história”, acrescenta.

“O dispositivo Covax prevê fornecer cerca de 2 bilhões de vacinas contra a covid durante este ano. Trata-se de um esforço mundial sem precedentes para garantir a todos os cidadãos o acesso às vacinas”, dizem os dois organismos.  

Gana, país da África Ocidental, registrou 582 mortos e contabiliza 80.759 contágios pelo novo coronavírus, apesar de os especialistas alertarem para números superiores devido à baixa realização de testes médicos. 

O comunicado informa que os trabalhadores que se encontram “na primeira linha” da luta contra a covid-19 vão ser os primeiros a serem vacinados em Gana.  

O Covax tem como meta fornecer este ano vacinas contra o SARS CoV-2 a 20% da população de 200 países e territórios, que estão incluídos no mecanismo por meio de um sistema de financiamento que permite a 92 economias de baixo ou médio rendimento acesso ao composto. 

O sistema foi iniciado para tentar evitar que os países mais ricos monopolizem as vacinas que ainda são fabricadas em doses muito reduzidas em nível mundial. 

O sistema Covax foi fundado pela OMS, pela Vacine Alliance (Gavi), um organismo suíço de capital misto, e pelo Cepi, a coligação para a inovação e preparação de epidemias, com sede em Oslo, na Noruega.

Os acordos que foram firmados com os fabricantes preveem a aquisição de 2 bilhões de doses em 2021 e a possibilidade da compra de 1 bilhão de vacinas adicionais.  

O lote inicial incluiu 1,1 bilhão de vacinas do Instituto Serum, da Índia, que produz vacinas AstraZeneca e Novavax. 

Tedros Adhanom Ghebreyesus, chefe da OMS, disse na segunda-feira (22) que alguns países ricos estão a “minar” o sistema Covax ao abordarem diretamente os fabricantes com a intenção de obterem mais doses. 

Fonte: Agência Brasil

Continue lendo

Internacional

EUA aprovam uso emergencial da vacina da Pfizer contra covid-19

Publicado

em

A FDA (Food and Drug Administration), agência de regulação de medicamentos dos Estados Unidos, aprovou na noite de sexta-feira (11) a liberação do uso emergencial da vacina contra a covid-19 produzida pelas companhias farmacêuticas Pfizer e BioNTech. Até agora, apenas quatro países haviam aprovado uso da vacina da Pfizer: Reino Unido, Canadá, Bahrein e México.

Em sua decisão, a FDA entendeu que o imunizante da Pfizer “atende aos critérios legais para emissão nos EUA” e que “a totalidade dos dados disponíveis fornece evidências claras de que a vacina pode ser eficaz na prevenção da covid-19”.

Logo após o anúncio da associação, o presidente dos EUA, Donald Trump, postou um pronunciamento em sua conta no Twitter, enaltecendo a decisão. “Nosso país atingiu um milagre da medicina”, disse.

A FDA classificou a aprovação como um marco significativo no combate à doença. “A autorização do FDA para o uso de emergência da primeira vacina covid-19 é um marco significativo na luta contra esta pandemia devastadora que afetou tantas famílias nos Estados Unidos e em todo o mundo”, disse o comissário da FDA, Stephen M. Hahn, em comunicado publicado no site da agência.

“Hoje a ação segue um processo de revisão aberto e transparente que incluiu contribuições de especialistas independentes científicos e de saúde pública e uma avaliação completa pelos cientistas de carreira da agência para garantir que esta vacina atendesse aos rigorosos padrões científicos da FDA para segurança, eficácia e qualidade de fabricação necessária para apoiar o uso de emergência autorização. O trabalho incansável para desenvolver uma nova vacina para prevenir esta doença nova, séria e com risco de vida em um período de tempo acelerado após seu surgimento é um verdadeiro testemunho da inovação científica e da colaboração público-privada em todo o mundo”, acrescentou, em seguida.

No Twitter, o presidente Donald Trump —que havia pressionado mais cedo a agência a aprovar até o fim do dia ameaçando o chefe da FDA, Stephen Hahn, de demissão— publicou vídeo comemorando a notícia sobre a liberação da vacina.

No vídeo, Trump agradeceu a todos os cientistas que possibilitaram a distribuição da vacina nos Estados Unidos hoje e garantiu que as primeiras doses serão aplicadas em menos de 24 horas.

“A primeira vacina será dada em menos de 24 horas. Por meio de nossa parceria com a FedEx e a UPS, já começamos a enviar a vacina para todos os estados e códigos postais do país”, ressaltou ele. “Queremos que os nossos idosos, profissionais de saúde e socorristas sejam os primeiros da fila. Isso reduzirá rápida e drasticamente as mortes e hospitalizações”.

Fonte: Folhapress
Foto: Reuters

Continue lendo

Popular