Conecte-se conosco

    Economia

    Pesquisa da Fecomercio aponta baixa inadimplência do teresinense

    Publicado

    em

    Pesquisa da Fecomercio aponta baixa inadimplência do teresinense

    A Pesquisa em parceria entre a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo e a FECOMÉRCIO-PI resultou numa queda de 7,3% de Endividamento da população de Teresina, passando de 59,4% em outubro de 2020 para 52,1% em outubro de 2021

    O levantamento realizado no mês de outubro revela que 47,9% dos teresinenses estão dando preferência nas compras a vista. Apenas 52,1% compraram a prazo neste mês, sendo 92,0% por meio de cartão de crédito, 25,6% por carnês de lojas e 13,5% por financiamento de carro. Crédito Pessoal (7,4%) e Financiamento de casa (6,5%).

    Dentre as famílias endividadas 14,4% encontram-se com contas em atraso e 4,0% não terão condições de acertar suas dívidas de pelo menos uns 3 meses de atraso, são os inadimplentes.

    36,9% dos entrevistados declararam que têm condições de pagar as suas contas atrasadas totalmente no próximo mês, enquanto 35,6% disseram que podem pagá-las só que parceladamente.

    Quanto ao tempo de atraso, 33,3% das famílias entrevistadas disseram que estão com atraso em suas contas até 30 dias; 32,3% declararam que o atraso está acima de 90 dias.

    Quanto ao comprometimento dos salários das famílias com dívidas, a Pesquisa mostra que 23,2% destacam entre 11% a 50% de suas rendas para cobrir despesas com débitos e 74,1% destinam mais de 50%, índice bastante alto, mas necessários para manter o mesmo poder de compras.

    O tempo médio de comprometimento com dívidas entre as famílias endividadas foi de 9,7 meses, sendo que 25,8% delas estão comprometidas com dívidas entre 6 meses e um ano e 56,8% por mais de um ano.

    Com o baixo endividamento e inadimplência do Consumidor fica mais fácil o aumento de crédito para as famílias voltarem a comprar nestes meses que precedem as festas de fim de ano como Natal e Ano Novo, que deixaram muito a desejar no ano passado por causa do isolamento social.

    Nonato Paz é assessor econômico da FECOMERCIO-PI e do Instituto FECOMERCIO de Pesquisa e Desenvolvimento – IFPD

    Fonte: Ascom

    Propaganda
    Clique para comentar

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Banca de Jornal

    Propaganda