Conecte-se conosco

Cidades

Enfermeiro acusado de estuprar cunhada é preso em Teresina

Publicado

em

O enfermeiro Ricardo da Silva Paz, acusado de dopar e estuprar a cunhada dentro de um apartamento de um hospital privado de Teresina, foi preso nesta quinta-feira (3), após se entregar no 12º Distrito Policial, na zona leste de Teresina.

Ricardo da Silva Paz chegou acompanhado de seu advogado, na sede do 12º Distrito Policial, onde foi cumprido o mandado de prisão temporária pela delegada titular do inquérito, Vilma Alves. O acusado permaneceu em silêncio durante o seu interrogatório.

“Ele veio acompanhado do advogado representante e vamos agora aguardar os acontecimentos. Nós já cumprimos a prisão. Durante o interrogatório ele permaneceu calado, não deu resposta nenhuma. Esperamos que ele possa dar ainda as respostas necessárias. Com relação a isso [o uso de medicamento psiquiátrico do acusado] não estamos sabendo. Ele optou em falar somente perante a Justiça”, disse a delegada Vilma Alves.

Entenda o caso

Um enfermeiro é acusado de dopar e estuprar sua própria cunhada dentro de um hospital particular no centro de Teresina, que é referência no tratamento e prevenção ao câncer. O caso ocorreu na madrugada do último dia 31 de outubro de 2020.

A vítima é empresária e cunhada do acusado e estava como acompanhante do seu sogro quando foi convencida pelo suspeito a tomar um relaxante. O caso está sendo investigado pela Polícia Civil do Piauí, através da Delegacia de Proteção dos Direitos da Mulher (DEAM).

A mulher teria sido dopada com uma alta dose de medicamentos. O acusado do crime é casado com a irmã mais nova da vítima, que teve lembranças do crime no dia seguinte e buscou a polícia e depois passou por exames no IML que constataram o estupro.

O hospital deve que adotar as providências cabíveis sobre o caso e se colocou à disposição para os esclarecimentos.

“Recebemos a informação através de procedimento inicial e estamos dando andamento ao caso. A própria vítima denunciou o caso. Houve o estupro. Como sempre, as mulheres não são respeitadas, são agredidas de todas as formas. Além do caso ter ocorrido no hospital, ele ainda dopou a vítima que não teve como se defender”, disse Vilma Alves

Da Redação
Foto: Reprodução

Banca de Jornal

Propaganda