Conecte-se conosco

Cidades

COE ratifica medidas higiênicossanitárias para as festividades de Natal e Reveillon

Publicado

em

O Centro de Operações da Emergência (COE) e a Vigilância Sanitária publicaram, no mês de setembro, Regulamentação Técnica que estabelece medidas higiênicossanitárias para atividades e festividades de final de ano. Até o momento, a Vigilância tem fiscalizado as atividades econômicas, dentre elas os shoppings centers, e acompanhado o cumprimento das determinações contidas na RT 024/20202. Nos últimos meses gestores públicos e empresários têm buscado informações para adequar suas atividades aos padrões necessários para o controle da Covid-19 no estado. A Vigilância Sanitária atua orientando para que os estabelecimentos melhor se adequem à regulamentação pertinente a este momento de pandemia.

Agora, quando se aproximam as festividades de natal e fim de ano, o COE se reuniu, excepcionalmente nesta sexta-feira (11), para avaliar o nível de observância da referida regulamentação técnica, além de avaliar os índices de transmissibilidade,  ocupação de leitos hospitalares e o crescimento do número de óbitos dos últimos 14 dias. Tendo por base esses números, os membros do Centro de Operações de Emergência (COE), ratificaram a RT 024/2020 e os protocolos até então estabelecidos permitindo que todas as atividades econômicas possam continuar em atividade, com a manutenção das normas de controle estabelecidas, como vem ocorrendo até aqui.

Em  relação as festas de réveillon, o COE também decidiu manter a regulamentação anterior que disciplina que todos os eventos, sejam eles públicos ou privados, devam obedecer a RT 024/2020. A orientação é para que todos os segmentos econômicos e a população piauiense em geral devam continuar respeitando os protocolos até aqui estabelecidos e que já são de conhecimento dos empresários e usuários dos serviços. A continuidade da observância desses proto colo, segundo os membros do COE, demonstra o grau de conscientização da sociedade e contribui para o controle da transmissilidade do novo coronavírus.

Fonte: CCOM

Banca de Jornal

Propaganda