Conecte-se conosco

Cidades

Cirurgia por videotoracoscopia em recém-nascido é realizada em hospital público do Piauí

Publicado

em

A cirurgia teve um tempo de duração de aproximadamente duas horas e contou com equipe formada pelos cirurgiões pediátricos Ivo Viana, Bruno Falcão, Rogério Medeiros e o anestesista Diego.

A Maternidade Evangelina Rosa foi a primeira instituição pública no estado do Piauí a realizar a cirurgia diafragmática por videotoracoscopia em recém-nascido, sendo a segunda a ser realizada dessa forma no estado. Isso se deve a aquisição de 17 torres de laparoscopia feita pela Secretaria Estadual de Saúde através do Governo do Estado e que foram distribuídas nos hospitais da Rede Estadual, ficando uma das torres na MDER.

” O Governo do Piauí está ampliando as cirurgias por videotoracoscopia após aquisição dos equipamentos para todos hospitais regionais e alguns estaduais. Possibilitando assim um procedimento menos invasivo, com menos tempo de internação, que utiliza tecnologia de ponta, trazendo um tratamento mais avançado a população piauiense”, destaca o secretário de Estado da Saúde, Florentino Neto.

Segundo o médico cirurgião pediátrico Ivo Viana, a Hérnia Diafragmática Congênita (HDC) é uma malformação no diafragma que ocorre quando o músculo que separa o tórax do abdome não fecha durante o desenvolvimento pré-natal. Dessa forma, ocorre o deslocamento dos órgãos localizados na cavidade abdominal, para a cavidade torácica. O espaço destinado ao desenvolvimento pulmonar torna-se limitado, resultando em pulmões subdesenvolvidos, condição conhecida como Hipoplasia Pulmonar.

“Com a compra das torres de laparoscopia já foram realizados alguns procedimentos e a equipe realizou a cirurgia de videotoracoscopia para correção de hérnia de diafragmática congênita em um recém-nascido. Foi feita a correção após todo o preparo pré-operatório, onde foi analisando todas as condições clínicas do paciente, que estava adequada e com a retaguarda de UTI, que é muito importante”, conta o cirurgião.

O especialista explica que sem o aparelho, as cirurgias eram realizadas com cortes muito grandes e abertos no qual o pós-operatório era bastante prolongado e com muitas complicações. “Com as torres de laparoscopia a cirurgia foi possível fazer apenas com pequenos cortes, medindo três e cinco milímetros. O paciente está estável e em recuperação de UTI. As vantagens da cirurgia realizada dessa forma é primeiramente a resposta do paciente, o pós-operatório é mais tranquilo e rápido, a alta é mais precoce e acontece menos infecções e complicações que podem advir de uma cirurgia aberta, além da estética por não deixa cicatrizes grandes no paciente”, destaca o médico, que enfatiza que o procedimento cirúrgico realizado em uma criança de 2,5 quilos por videotoracoscopia possui uma complexidade bastante grande por conta do tamanho da criança e pelo espaço reduzido de realização do procedimento.

O médico Francisco Macedo, diretor da MDER, parabeniza a equipe médica e fala da importância do trabalho de todos os profissionais da maternidade no atendimento de gestantes e recém-nascidos. “A Maternidade Dona Evangelina Rosa é referência em tratamento de alto risco de gestantes e recém-nascidos, fazendo história, inovando e propiciando saúde e bem-estar ao povo do Piauí. Estamos trabalhando para melhorar cada dia mais o serviço da maternidade em pró da população piauiense, em especial as mulheres e bebês. Quero parabenizar a equipe que realizou esse procedimento de alta complexidade”, conclui o diretor da MDER.

Cirurgia por videotoracoscopia em recém-nascido é realizada em hospital público do Piauí

Fonte: Sesapi

Banca de Jornal

Propaganda