Bolsonaro repudia acusação de Lula e compara vandalismo a atos da esquerda

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) usou as redes sociais para comparar os atos de terrorismo praticados hoje (8) em Brasília por seus apoiadores, com os protestos feitos por militantes de esquerda nos anos de 2013 e 2017.

No Twitter, Bolsonaro rebateu as acusações do presidente Lula (PT), de que ele também era responsável pelo movimento golpista instaurado na capital federal neste domingo.

Manifestantes golpistas invadiram e depredaram os prédios do Congresso Nacional, do STF (Supremo Tribunal Federal) e do Palácio do Planalto após furarem o bloqueio feito pela Polícia Militar do Distrito Federal na Espanada dos Ministérios.

O ex-presidente, inclusive, reconheceu em sua postagem que Lula é o atual chefe do Executivo do país. Bolsonaristas que aturam nos atos de terrorismo ainda questionam a derrota de Bolsonaro nas urnas e a vitória de Lula nas eleições de 2022.

” Manifestações pacíficas, na forma da lei, fazem parte da democracia. Contudo, depredações e invasões de prédios públicos como ocorridos no dia de hoje, assim como os praticados pela esquerda em 2013 e 2017, fogem à regra – diz.

Bolsonaro acrescentou que sempre respeitou a Constituição.

“Ao longo do meu mandato, sempre estive dentro das quatro linhas da Constituição respeitando e defendendo as leis, a democracia, a transparência e a nossa sagrada liberdade”, frisa.


O ex-presidente repudiou as acusações de Lula.

“No mais, repudio as acusações, sem provas, a mim atribuídas por parte do atual chefe do executivo do Brasil”, finaliza.

Prisões no DF
A PCDF (Polícia Civil do Distrito Federal) informou que, até o momento, 170 pessoas foram presas nos ataques golpistas na Praça dos Três Poderes. Todas elas, segundo a corporação, estavam envolvidas nos atos terroristas.

A Polícia Legislativa do Senado também prendeu 30 pessoas que invadiram a sede do Congresso e o plenário da Casa.

Fonte: Folhapress
Foto: Reprodução

relacionadas

talvez você goste