Conecte-se conosco

    Brasil

    Bolsonaro entra com ação contra Alexandre de Moraes

    Publicado

    em

    Bolsonaro entra com ação contra Alexandre de Moraes

    O presidente Jair Bolsonaro apresentou nesta terça-feira (17) uma ação contra o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes alegando abuso de autoridades. Esse é o mais novo capítulo da ofensiva do presidente contra o STF.
    Moraes é relator de investigações contra o presidente, entre elas o chamado inquérito das fake news, aberto em 2019 para investigar ataques e mentiras divulgadas sobre ministros do STF. Além de Bolsonaro, diversos aliados do presidente são alvo desta investigação.

    Moraes também é alvo frequente da ira de Bolsonaro por ter anulado uma série de decretos presidenciais.

    Na ação apresentada ao STF, Bolsonaro alega que o inquérito das fake news é “injustificada” e diz que não há fato ilícito para ser apurado. “O intuito do Presidente da República, por óbvio, não era o de divulgar informações inconsistentes ou algo que o valha, mas sim o de promover um debate sobre o tema, propondo, inclusive, uma visão crítica sobre ele. Algo normal dentro de um espaço democrático, como o que se vive no Brasil”, afirma o texto.

    O presidente também critica a decisão do ministro de, após encerrar o inquérito dos atos antidemocráticos a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), abrir uma nova investigação para apurar fatos semelhantes.

    Moraes é relator de investigações contra o presidente, entre elas o chamado inquérito das fake news, aberto em 2019 para investigar ataques e mentiras divulgadas sobre ministros do STF. Além de Bolsonaro, diversos aliados do presidente são alvo desta investigação.

    Moraes também é alvo frequente da ira de Bolsonaro por ter anulado uma série de decretos presidenciais.

    Na ação apresentada ao STF, Bolsonaro alega que o inquérito das fake news é “injustificada” e diz que não há fato ilícito para ser apurado. “O intuito do Presidente da República, por óbvio, não era o de divulgar informações inconsistentes ou algo que o valha, mas sim o de promover um debate sobre o tema, propondo, inclusive, uma visão crítica sobre ele. Algo normal dentro de um espaço democrático, como o que se vive no Brasil”, afirma o texto.

    O presidente também critica a decisão do ministro de, após encerrar o inquérito dos atos antidemocráticos a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), abrir uma nova investigação para apurar fatos semelhantes.

    Fonte: R7.com

    Propaganda
    Clique para comentar

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Propaganda

    Banca de Jornal

    Propaganda

    Popular