Conecte-se conosco

    Sem categoria

    Bolsonaro e Boris Johnson combinam pedido de cessar-fogo

    Publicado

    em

    Bolsonaro e Boris Johnson combinam pedido de cessar-fogo

    O governo britânico informou nesta quinta-feira (3/3) que o primeiro-ministro Boris Johnson e o presidente Jair Bolsonaro (PL) conversaram por telefone. Durante a ligação, os dois chefes de Estado concordaram em pedir um “cessar-fogo urgente” na Ucrânia e disseram que a paz deve prevalecer na região.

    Ucrânia e Rússia vivem um conflito desde o dia 24 de fevereiro. A invasão feita por tropas russas em território ucraniano já é considerada a maior ofensiva militar registrada na Europa desde o final da Segunda Guerra Mundial.

    Segundo o gabinete britânico, Boris Johnson disse que a invasão da Ucrânia pela Rússia foi “repugnante” e que a comunidade internacional não pode permitir tal atitude.

    Na ligação, o primeiro-ministro britânico ainda disse a Bolsonaro que o Brasil foi um “aliado vital” na Segunda Guerra Mundial e que o país tem um papel crucial para a solução no Leste Europeu.

    Conflito entre Rússia e Ucrânia
    A Rússia e a Ucrânia vivem um embate por causa da possível adesão ucraniana à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), aliança militar liderada pelos Estados Unidos. Na prática, Moscou vê essa possível adesão como uma ameaça à sua segurança. Os laços entre Rússia, Belarus e Ucrânia existem desde antes da criação da União Soviética (1922-1991).

    Com autorização do presidente Vladimir Putin, tropas russas iniciaram, na madrugada de 24 de fevereiro, uma ampla operação militar para invadir a Ucrânia. Em pronunciamento, ele fez ameaças e disse que quem tentar interferir no conflito sofrerá consequências nunca vistas na história.

    Já são oito dias de luta armada. O conflito já é considerado a maior ofensiva militar registrada na Europa desde o final da Segunda Guerra Mundial.

    Fonte: R7.com

    Propaganda
    Clique para comentar

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Propaganda

    Banca de Jornal

    Propaganda

    Popular