Conecte-se conosco

    Esporte

    Bia Ferreira perde para irlandesa e fica com a prata em Tóquio

    Publicado

    em

    Senador protocola pedido de criação da CPI do MEC no Senado

    Beatriz Ferreira, a Bia, levou a medalha de prata na disputa do peso leve (57 a 60kg) do boxe feminino nas Olimpíadas de Tóquio. A brasileira fez uma luta muito dura, mas foi derrotada pela irlandesa Kellie Anne Harrington por decisão dos juízes (5:0) nesta madrugada de domingo (8).

    Este foi o primeiro confronto entre as lutadoras. Quando Harrington foi campeã mundial em 2018, Bia caiu cedo e parou nas oitavas de final. Em 2019, foi a vez de Bia conquistar o Mundial, mas Harrington estava lesionada e não participou do torneio. Apesar de não ter levado o ouro, a prata de Bia já foi suficiente para o Brasil bater seu recorde de medalhas em Jogos Olímpicos. Ao todo, serão 21 pódios (já contando com o vôlei feminino) em Tóquio, duas a mais que em 2016, no Rio de Janeiro.

    A luta
    No primeiro round, Bia foi mais contundente e conseguiu acertar mais golpes na adversária, ganhando a preferência de três dos cinco árbitros. No segundo round, o combate seguiu bastante estudado, mas os juízes consideraram que a irlandesa foi melhor. Nos últimos três minutos da luta, Bia voltou ainda mais agressiva para vencer o round e, consequentemente, a luta. Mas a brasileira também foi alvo de novos golpes da irlandesa e acabou derrotada na visão de todos os árbitros. No fim, Harrington levou a melhor por decisão unânime dos árbitros (5 a 0).

    “Desculpa, pai. Desculpa, Brasil”, disse a brasileira, após saber que ficou com a prata.

    Aos 28 anos, Bia é treinada pelo pai, Raimundo Oliveira Ferreira, conhecido também como “Sergipe”, e que também foi lutador. Campeã mundial em 2019, a brasileira chegou a Tóquio como favorita para ganhar o ouro. Antes de chegar à decisão, ela estreou vencendo Shih-Yi Wu (5 a 0), de Taiwan. Nas quartas, superou Raykhona Kodirova, do Uzbequistão, também por 5 a 0. Por fim, na semifinal, eliminou a finlandesa Mira Marjut Johanna Potkonen, novamente por 5 a 0.

    Fonte: Folhapress

    Propaganda
    Clique para comentar

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Propaganda

    Banca de Jornal

    Propaganda

    Popular