Conecte-se conosco

    Artigos

    Artigo – O que seria do mundo?

    Publicado

    em

    Se não existissem os bons Cristãos, os músicos, os intelectuais, os simples, a tecnologia, uma boa partida de futebol, a boa cerveja trapista, o bom vinho cartuxo, as orações cotidianas dos mosteiros, a pureza e o amor presbiteriano pela sagrada escritura, a caridade católica, a honestidade jesuítica, a santidade anglicana, o fervor dos evangélicos pentecostais, o cuidado com os enfermos e moribundos por parte dos que se dedicam diariamente nos hospitais das ordens e congregações religiosas espalhas pelos cinco continentes. O que seria se existissem apenas os ladrões do erário?

    Qual a etimologia da palavra erário? Erário significa tesouro público, é um termo oriundo do latim, aerarium. Erário é o dinheiro que o Governo dispõe para administrar, é o conjunto de bens, composto pelos recursos financeiro e do tesouro. O erário é controlado pelo Fisco, que é um conjunto de órgãos da administração pública, que tem o objetivo de arrecadar e fiscalizar tributos, portanto é o conjunto de valores pertencentes ao Estado. Como é a vida dos ladrões do erário público? E ainda tem pessoas que conseguem normalmente conviver com essas pessoas enfatizando a máxima de que o reino de Deus é pra todos! Como é “roubar” de quem não tem nada? Escolas sucateadas, ensino deficitário, falta de saúde, educação, lazer e cultura e a consciência não dói? O que seria o Mundo se não fosse habitado por funcionários públicos honestos? E um mundo sem crença você já imaginou como seria este Mundo?

    Acredita que apenas destas reflexões surgiu preocupação com o céu e o inferno? Não, não é apenas disso. O ser humano é muito finito, falho, demasiadamente amante do poder e das riquezas. Somente o fato de pensar na frase o que adianta ganhar o mundo e perder a vida eterna já provoca reflexões! O que seria do mundo se o mesmo fosse habitado apenas por amantes do prazer? É incrível como tem tanta coisa boa por fazer do que apenas viajar constantemente e hospedar-se em bons hotéis. E viajar de jatinho ou mesmo de avião de carreira, mas em primeira classe? Mas de que adianta tudo isso? E o acúmulo de títulos acadêmicos e o possuir os melhores carros e do ano?

    Por que a tendência humana é não pensar na gratuidade? Não estamos tentando dizer e alertar que viver bem não é bom. O fato é que o viver honestamente é algo de fato salutar! Conhecimento, saber de tudo não é essencial para a santificação. Saber o mínimo, entretanto, ajuda. Certo escritor, de acordo com James Montgomery Boice, disse: “Assim como a confiança é um fundamento prático {…}, o conhecimento de nossa posição em Cristo é a estrada que leva à santidade” (BARNHOUSE, 1951, p.37). O que leva um ser humano a viver constantemente em busca do poder terreno? Pare. Pense!

    A religião, a arte, a música, o canto gregoriano, os hinos presbiterianos, os filmes e séries (bons filmes e séries), o futebol, os livros, uma excelente biblioteca, tudo isso torna o mundo maravilhoso! Deve ser monótona a vida dos ladrões do erário público! O mundo é sustentado pelos simples e honestos. Deus é muito claro em sua sagrada escritura; o que faz uma pessoa pensar que usufruir apenas de momentos é o sentido? O inferno existe! É questão de lógica e sabedoria investir em SANTIDADE!  

    Artigo - O que seria do mundo?


    Por Josenildo Melo

    Propaganda
    Clique para comentar

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Propaganda

    Banca de Jornal

    Propaganda

    Popular