Após Congresso e Planalto, bolsonaristas radicais invadem STF

Os bolsonaristas que invadiram a Praça dos Três Poderes também invadiram a sede do STF (Supremo Tribunal Federal). Mais cedo, os apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) também invadiram a sede do Congresso Nacional e o Palácio do Planalto.

A maioria veste roupas verde e amarelo e entoa palavras de ordem, como trecho da Constituição de que “todo o poder emana do povo”. O grupo é contrário à posse Luiz Inácio Lula da Silva (PT) à Presidência da República, realizada em 1º de janeiro de 2023.

Lula está em São Paulo. Neste domingo (8.jan), o presidente visita cidade de Araraquara para verificar os estragos provocados pelas chuvas. A primeira-dama, Janja da Silva, acompanhará o petista.

Segundo apurou o Poder360, há confrontos entre policiais e o grupo invasor no Palácio do Planalto. Bombas de gás lacrimogênio e de efeito moral são lançadas em direção aos invasores. Os invasores tentavam se organizar para resistir aos agentes de segurança pública.

Policiais também tentam conter os invasores na sede do STF.

Na esplanada, invasores rezavam, além de carregar a bandeira de Israel. No STF, furaram um cano e alagaram a entrada.

Invasão dos Três Poderes
Por volta das 15h deste domingo (8.jan), bolsonaristas radicais invadiram o Congresso Nacional depois de romper barreiras de proteção colocadas pelas forças de segurança do Distrito Federal e da Força Nacional. Lá, invadiram o Salão Verde da Câmara dos Deputados, área que dá acesso ao plenário da Casa.

Em seguida, invasores se dirigiram ao Palácio do Planalto e depredaram diversas salas na sede do Poder Executivo. Por fim, os radicais invadiram o STF. Quebraram vidros da fachada e chegaram até o plenário.

Manifestantes invadem o Congresso Nacional

Antes da invasão
A organização do movimento foi captada pelo governo federal, que determinou o uso da Força Nacional na região. Pela manhã de domingo (8.jan), havia 3 ônibus de agentes de segurança na Esplanada. Mas não foi suficiente para conter a invasão dos bolsonaristas na sede do Legislativo.

Durante o final de semana, dezenas de ônibus, centenas de carros e centenas de pessoas chegaram na capital federal para a manifestação. Inicialmente, o grupo se concentrou na sede do Quartel-General do Exército, a 7,9 Km da Praça dos Três Poderes.

Depois, os manifestantes desceram o Eixo Monumental até a Esplanada dos Ministérios a pé, escoltados pela Polícia Militar do Distrito Federal.

O acesso das avenidas foi bloqueado para veículos. Mas não houve impedimento para quem passasse caminhando.

Durante o dia, policiais realizaram revistas em pedestres que queriam ir para a Esplanada. Cada ponto de acesso de pedestres tinha uma dupla de policiais militares para fazer as revistas de bolsas e mochilas. O foco era identificar objetos cortantes, como vidro e facas.

Contra Lula
Desde o resultado das eleições, bolsonaristas ocuparam quartéis em diferentes estados brasileiros. Eles também realizaram protestos em rodovias federais e, depois da diplomação de Lula, promoveram atos violentos no centro de Brasília. Além disso, a polícia achou materiais explosivos em 2 locais de Brasília.

Manifestantes arracam a porta do gabinete do ministro Alexandre de Moraes

Fonte: Poder360
Fotos: Reprodução

relacionadas

talvez você goste